Murilo Taranto – diretor de T.I. da Stoque – aborda a evolução das ferramentas de BPMS com base em análise realizada pelo Gartner

Com base no cenário atual das organizações, nota-se que é necessário que seus processos de negócios sejam integrados, com análises e aplicações mais conectadas, ou seja, gestores de processos e de conhecimento precisam tomar decisões rápidas, certas e “fazer mais com menos”. Sendo assim, o Gartner tem identificado uma nova tendência e evolução no mercado das ferramentas de BPMS, o qual chamou de IBO (Intelligent Business Operation). Para que as ferramentas de BPMS possam estar aderentes a esta nova tendência, elas precisam evoluir e agregar novas funcionalidades.

Ao analisar a tendência, o Gartner criou um novo termo (iBPMS), onde o “i” vem de “Intelligent”, que representa a evolução e futuro das soluções de BPMS. Em outras palavras, o iBPMS é um upgrade das soluções de BPMS atuais.

Para dar continuidade ao tema, é válido expor duas definições: o que é suporte ao IBO e o que é BPMS. Como dito acima, o IBO é a evolução de ferramentas de BPMS atuais, porém com novas funcionalidades. Já os BPMSs tradicionais são uma suíte de tecnologia integrada entre diversos recursos (pessoas, software, informação, regras de negócios e políticas) que contribuem para a melhoria dos processos operacionais das organizações, permitindo que pessoas, processos e recursos tecnológicos trabalhem de forma mais colaborativa.

É importante ressaltar que a decisão da adoção de uma plataforma tecnológica irá impactar as organizações por um longo período, portanto é necessário que haja o cuidado de avaliar se as novas ferramentas utilizadas irão suportar estas funcionalidades. De acordo com o Gartner, as organizações devem considerar o IBO e por isso acreditam que, entre os próximos três anos, mais de 70% delas estarão executando a solução.

Uma recomendação interessante é que se uma companhia estiver analisando a aquisição de uma ferramenta de BPMS, deverá avaliar também se ela suporta IBO, se não, deverá certificar-se que o Rodmap do produto irá suportar. Somente então deverá decidir o quão crucial o suporte a IBO é importante. Caso a companhia já possua uma ferramenta de BPMS, deve avaliar sua necessidade de suporte a IBO e perguntar ao fabricante se isso estará no Roadmap.

O que distingue uma ferramenta de iBPMS das tradicionais ferramentas de BPMS são:

- Mídias Sociais: elas podem aumentar e prover mais informações sobre o contexto de situação. Também oferecem suporte adicional às técnicas analíticas, tal como: análises da rede social para embasar decisões a respeito das próximas ações. Isso também permite uma melhor colaboração e crowdsourcing;
- Suporte a dispositivos móveis, o qual facilita o acesso 24/7 de forma global, permitindo uma resposta rápida aos processos de negócios;
- Expandir e melhorar as análises em real-time em áreas como Business Activity Monitoring e tecnologias CEP para prover uma melhor avaliação, mais ampla e preditiva. Melhor visibilidade em real-time dos processos, tornando melhor e mais rápida as decisões operacionais;
- Integração com ferramentas analíticas, tais como de análise preditiva e simulação;
- Acesso as fontes de informações externas e não-estruturadas como vídeo e áudio.

BPM Suíte:

Fonte: Hyland Software OTTC 2014

Para complementar, pode-se dividir em dois grupos os provedores de soluções iBPMS presentes no mercado.
- Um grupo de inovadores, os quais são pioneiros em adicionar inteligência ao BPMS, sendo aderente e suportando o padrão IBO. São referenciados como fornecedores Pure-Play por conta de suas reputações no que diz respeito ao foco centrado em BPM. Muitas vezes são companhias de um só produto, as quais oferecem características que permitem aos clientes implementar rapidamente soluções inteligentes de processos. Eles são na maioria das vezes companhias menores e que conseguem rapidamente implementar as necessidades deste novo cenário aderente ao IBO.
- O segundo grupo é formado por grandes companhias de tecnologia, fornecedoras de software e infraestrutura de hardware. São provedores que fornecem uma gama diversificada de produtos para uma grande base de clientes existentes. O BPM é só mais uma das tecnologias. São fornecedores já bem estabelecidos no mercado e que possuem uma grande habilidade em integração e sistemas complexos. São companhias que acabam comprando as pequenas empresas inovadoras e acrescentam estas inovações ao seu portfólio de produtos. Alguns exemplos são: IBM, Oracle, Software AG e etc.

Conforme explanado no texto acima, Murilo Taranto, diretor de T.I. da Stoque, conclui que quando o Gartner aborda a evolução das ferramentas de BPMS para soluções iBPMS, refere-se a adicionar mobilidade, gestão de conteúdo (documentos, imagem e etc), mídias-sociais e uma forte análise e monitoramento dos processos.

Muitos dos grandes players de ECM, com foco na gestão de conteúdo e automatização de processos, incorporaram aos seus produtos os conceitos de BPM, antes somente vistos nos produtos de BPMS Pure-Player. Sejam por aquisições destes produtos ou pela tendência de fusão destas ferramentas, o certo é que estas soluções têm incorporado em uma mesma suíte todos os conceitos de ECM e BPM. Na visão de Murilo, as ferramentas de iBPMS/BPMS e ECM estão convergindo para se tornarem uma única suíte ou produto. A Stoque alinhada a esta nova tendência, oferece no seu portfólio, soluções que estão aderentes e suportam o iBPMS.

Para mais informações acesse www.stoque.com.br ou entre em contato pelo telefone 31-3465-3600