Trajetória da companhia inclui prestação de serviços de telecomunicações para o segmento corporativo e atuação no mercado consumidor, com o lançamento da HughesNet, conexão de alta velocidade para zonas rurais e pequenos municípios

A Hughes, líder mundial no fornecimento de serviços de rede e tecnologia de comunicação via satélite, está comemorando 50 anos de história no Brasil. A companhia americana chegou ao País em 1968 e foi a responsável pela venda dos primeiros satélites de telecomunicações brasileiros.

“Ao longo destes 50 anos de história no País, a Hughes sempre teve um papel de destaque no mundo das comunicações via satélite. Começamos vendendo equipamentos, depois incorporamos prestação de serviços de rede corporativa ao nosso negócio, e agora oferecemos serviços ao consumidor final. Esses fatores marcam uma transformação significativa nas atividades da companhia e a coloca como parte fundamental da história das comunicações via satélite no Brasil”, diz Delio Morais, CEO da Hughes no Brasil.

A Hughes é a única prestadora de serviços gerenciados via satélite que utiliza a própria tecnologia em suas operações, e também o principal fornecedor mundial de serviços de satélites de banda larga, produtos e soluções de redes gerenciadas. Entre os benefícios gerados aos clientes, é possível destacar a cobertura nacional, um extenso portfólio de serviços e soluções de rede multisserviços (fixas e móveis), personalizados e adaptados às necessidades específicas de cada cliente.

Além de comunicação via satélite, a Hughes possui um portfólio completo de soluções nas áreas de: redes de comunicação; monitoramento e controle; mobilidade; e treinamento, e atua principalmente nos setores de serviços públicos, varejo, financeiro, educação, indústria, telecom, governo e agronegócio.

Para Rafael Guimarães, presidente da Hughes no Brasil, o País é, cada vez mais, foco de intensos investimentos da companhia, que opera no mercado nacional desenvolvendo soluções de telecomunicações para os segmentos corporativo, governamental e consumidor. “Estamos orgulhosos de comemorar 50 anos de presença no País e poder oferecer serviços de alta qualidade a empresas de diversos segmentos, além de usuários residenciais”, afirma Guimarães.

  Investimento no segmento B2C – HughesNet

Em 2016, a Hughes fez mais um grande investimento no Brasil, ao apostar no segmento B2C, com o lançamento da HughesNet, marca que veio para atender às necessidades do consumidor final que necessita de internet em locais considerados desatendidos. No País, o serviço opera na banda Ka, faixa na qual os satélites de alta capacidade trabalham com um custo mais baixo, além de receber os mesmos padrões globais de qualidade.

“Com a HughesNet, nossa banda larga via satélite, apostamos no segmento B2C para alavancar negócios e alcançar outro nicho de mercado, levando conexão de alta qualidade às regiões mais remotas e afastadas dos grandes centros, como pequenos municípios, zonas rurais e litoral. Por utilizar tecnologia via satélite, o serviço de banda larga da HughesNet chega onde nenhuma outra tecnologia é eficaz”, ressalta Guimarães.

Novo Satélite

E os investimentos no Brasil não param. Ainda neste ano, a empresa passará a utilizar um novo satélite que vai não só ampliar a cobertura dessa tecnologia no Brasil, como também atender muitos países da América do Sul, que a Hughes utilizará para expandir seus serviços de satélite de banda larga para os consumidores. A banda larga HughesNet já está disponível em quase 4 mil municípios brasileiros desde seu lançamento, e ainda em 2018, a companhia deve ampliar o atendimento para aproximadamente 4.900 municípios.

Muito além do satélite

Também este ano chega ao mercado brasileiro a solução HughesOn. Trata-se de um serviço de SD-WAN capaz de prover conexões entre a matriz e filiais de empresas de forma segura, escalável e bem mais econômica, usando como meio de acesso circuitos de banda larga tradicionais. “HughesOn é uma solução da Hughes que opera em qualquer acesso à internet, mesmo que não seja via satélite. Com o SD-WAN, usando diferentes acessos e virtualizando aplicações locais, aumentamos a banda disponível em muitas vezes, garantindo o SLA. Nos EUA, o serviço já é usado em 280 mil pontos e agora é a vez do Brasil contar com essa solução”, conclui Guimarães.

Echostar XXIV/Jupiter 3: um futuro não tão distante

Em 2021, a Hughes lançará um novo satélite, o Echostar XXIV/Jupiter 3. Esse novo satélite será utilizado para entregar conexões de até 100 Mbps à empresas e usuários finais em praticamente todos os países das Américas, incluindo o Brasil, EUA, Canadá, México e outras regiões. O satélite utilizará tecnologia de ultradensidade (UHDS) para transmissão e será responsável por mais que dobrar a capacidade de banda da Hughes no continente.