Quando alguém responde a essa pergunta, geralmente cita o histórico dos últimos faturamentos, estatísticas de aceitação de produtos, crescimento das vendas, da carteira de clientes, investimentos, etc.. Mas, será que somente esses indicadores são suficientes para garantir com segurança que a saúde da empresa vai bem, ou para conduzir decisões assertivas e eficazes na estratégia empresarial?

Para esclarecer essa dúvida, vou fazer um comparativo com a saúde humana.

A medicina já identificou várias ameaças silenciosas à saúde futura dos seres humanos, tais como diabetes, colesterol, alguns tipos de câncer, entre outros. São males que podem permanecer no organismo humano por anos e até décadas sem manifestarem qualquer sintoma aparente. Vem daí a recomendação de verificações periódicas, os check ups, para prevenir doenças, amenizar seus sintomas, ou ainda curá-las identificando-as em seu estágio inicial.

É interessante notar que os médicos, que são os gestores da nossa saúde, agregam cada vez mais exames em quantidade e complexidade, cruzando informações entre eles para garantir um diagnóstico cada vez mais preciso para determinar o tratamento mais adequado e eficaz.

Todo esse procedimento deveria ser aplicado também pelas empresas. Se os gestores não tiverem informações em quantidade, qualidade e no tempo certo, não conseguirão orientar e recomendar ações que mantenham a saúde da empresa em pleno equilíbrio, ou identificar um problema e remediá-lo, antes que ele possa prejudicar o negócio.

A Administração de Empresas contém vários conceitos de gestão que resultam em indicadores que, a exemplo dos exames médicos, devem ser cruzados para confirmação das informações, trazendo maior segurança na tomada de decisões, evitando desperdícios de recursos e perda de competitividade por uma possível instabilidade na saúde organizacional.

O ERP deve prover aos gestores o acesso a esses indicadores, de forma ágil e em tempo real, com alto grau de confiabilidade. Mas, além disso, os níveis de gestão e operacional precisam estar corretamente capacitados e em sinergia para que os melhores resultados sejam obtidos.

Então, para responder a pergunta acima com mais segurança, a alta Gestão do negócio deve considerar um conjunto de soluções para correto dimensionamento e direcionamento do uso do ERP, a favor da estratégia da empresa. Entre elas estão: a capacitação contínua de seu time de colaboradores nos conceitos da Administração, e a aplicação de uma metodologia segura e auditável na implementação e na manutenção desse sistema.

Só assim será possível garantir uma longa e estável saúde do seu negócio.

 

Neander Doering

Gerente comercial da Sankhya