As redes sociais trouxeram uma nova vertente de negócios, principalmente no gerenciamento das informações. Segundo o diretor de Arquitetura de soluções da Oracle do Brasil, Juan Mikalef, o acúmulo de informações traz novas necessidades, principalmente de como gerenciá-las. 

[private] De acordo com o executivo, as redes sociais estão em uma terceira (recente) classificação de definição e gerenciamento de Big Data. “Essa mídias, como o Twitter, geram aproximadamente 8 Terabytes por dia. São muitas informações se acumulando ao mesmo tempo. É preciso ter muita velocidade na capacidade de análise”, completa.

Mikalef explicou as características de Big Data, gerenciamento das informações, como balancear a variedade de informação e que valor estas podem agregar aos negócios. “A rede social gera informações não estruturada. É uma questão de variedade, associado ao valor da informação”, explica.

Document Management: Quais são os desafios para o gerenciamento do volumes de dados crescentes?
Juan Mikalef: Hoje podemos classificar três desafios marcantes. O primeiro é a aquisição, onde a empresa deve analisar e investir em recursos que solucionem a questão de como trazer, administrar e gerenciar o volume de informação. Vendo este, partimos para a segunda etapa, que também está relacionada à informação, momento que deve ser focado modos de como executar esses dados, essas informações para a minha finalidade. Já o terceiro passo, é investir em ferramentas e otimizar as que uso para que agreguem valor aos meus resultados e solucionem os meus problemas.

DM: E como adequar a tecnologia para transações de dados, armazenamento, entre outras, por exemplo?
J.M.:
Big data requer algumas mudanças no modelo tradicional. Quando o usuário recebe uma informação numa taxa mais veloz, ele precisa de uma alternativa de armazenamento destes dados. Um exemplo, para simplificar, pode ser o banco de dados de tipo chave-valor, genericamente conhecidos como banco de dados NoSQL. Ou seja, é necessário que se preserve a informação: gravar uma chave (dado, informação de valor), que permita encontrar dados e preservar seguramente com toda as informações contida nesta chave.

DM: Qual a política da companhia no que se refere a investimentos  para estar alinhada com  as demandas globais nesta área?
A Oracle investe em U$ 4 milhões em pesquisas. São poucas as iniciativas e empresas como esta que tem a preocupação com o desenvolvimento e acompanhamento de suas soluções. Fora as parcerias que agregam ainda mais para o nosso portfólio, desde hardware, software, onde podemos aproveitar as características das soluções e somá-la as novas, transformando em novos recursos para novas necessidades.

DM: Na sua opinião, o mercado brasileiro entende o que é o Big data? O que é necessário para democratizar essa idéia?
J.M.:
Eu vejo que o mercado brasileiro acompanha as tendências na mesma velocidade do mercado de países desenvolvidos. Podemos ver agora, uma ascensão da presença de empresas nacionais no mercado e em nível de companhia exteriores, vemos também a importância do país em alguns temas, em comunidades e conhecimentos, são destaques expressivos. O Brasil também tem forte participação em fóruns.

DM: Para o Sr., as novas mídias ampliam o fluxo dos grandes dados como será possível  gerenciá-las?
J.M.: Sem duvidas as mídias sociais causaram um impacto importante no gerenciamento das informações, principalmente porque que ampliam a geração de dados.  Lidamos com muitas informações, atualmente existem muitas pessoas conectadas às estas mídias. São informações sendo expostas, geradas e mudadas a cada minuto, seja nos negócios, sejam opiniões, etc. Acredito que o principal desafio agora é O desafio é saber integrar estas informações expostas, de uma maneira segura e de modo que estes elementos sejam protegidos e ao mesmo tempo possam ser utilizados nos negócios, de maneira positiva. [/private]