Explosão low-code: mais de 65% dos apps até 2025 serão desenvolvidos com ferramenta de baixo código

Explosão low-code: mais de 65% dos apps até 2025 serão desenvolvidos com ferramenta de baixo código

Nos próximos dois anos, pelo menos três quartos das grandes empresas do mundo farão uso do low-code, ferramenta de pouco código na criação de softwares e aplicativos, e a expectativa é que, até 2025, esse tipo de solução seja a responsável por desenvolver mais de 65% dos apps. Os dados são de uma pesquisa do Gartner.

A explosão low-code faz sentido. Após o registro do aumento da procura por esse tipo de sistema de 23% no ano passado, movimentando R$ 72,67 bilhões, é óbvio que já está embutido na mente de empresários, CEOs, CTOs etc. que é preciso transformar digitalmente as operações do negócio para acompanhar as rápidas mudanças do mercado. “Adapte-se ou morra” é um jargão comum. Contudo, como somente 0,5% da população do mundo tem conhecimento de programação, as plataformas de desenvolvimento de baixo código vêm se sobressaindo por representar uma possibilidade de inovação nos mais diversos segmentos.

Filipe Bento, CEO da BR24

A tal “luz no fim do túnel” que cria sistemas simples ou complexos, desburocratizando e otimizando a rotina de empresas, opera por meio de funções de arrastar e soltar “objetos” para, além da construção de apps e sites, também games, interfaces de usuários, inteligência artificial, bem como processos de dados e lógica, tudo isso de forma rápida e visual, conforme explica Filipe Bento, CEO da BR24, representante oficial da plataforma Bitrix24, com mais de mil clientes em 66 países em sua carteira: “Trata-se de um modelo de trabalho que vem crescendo porque poupa tempo e custos da equipe de desenvolvimento, que consegue ter várias vantagens ao utilizá-lo na comparação com outras plataformas, como escalabilidade, soluções mais criativas e foco no cliente”.

A pesquisa da Gartner também aponta que a produtividade é o principal motivo para as empresas adotarem o low-code (76%). Além disso, 67% querem reduzir o tempo para ganhar mercado, e 63% almejam automatizar processos. Nesse sentido, para se ter ideia da potência low-code, uma projeção atual da BR24 mostra como uma de suas inovações – a Bitrix24, plataforma completa de gestão, CRM e marketing – agiliza o trabalho, independentemente do setor de atuação, em até 10 vezes ou mais, como vem acontecendo com a Zucchetti, uma das principais softwares houses italianas e que vem se destacando no mercado brasileiro. Presente em 12 países, a empresa, focada em ERP, atendendo desde pequenos lojistas a gigantes do mercado, contratou o Bitrix24 para automatizar o processo. E o resultado surpreendeu a todos: “A ideia era ter um sistema único onde conseguíssemos separar os produtos, programar atendimentos, aprimorar o relacionamento com os colaboradores e clientes, ter mais controle sobre as vendas, informações centralizadas e melhor gestão de tempo. Sem dúvida, foi a melhor escolha, a qual nos tem trazido melhores oportunidades em todos os sentidos”, comenta Carolina Campos, gerente comercial da Zucchetti.

Graças à possibilidade “all in one”, tendo como principal vantagem reunir vários recursos de otimização em um só app, a empresa teve a possibilidade de agregar o Bitrix24 aos sistemas que já trabalhava, como o RD Station, uma ferramenta para automação de marketing digital, e o PowerZap, criado pela Br24 e disponível no marketplace do Bitrix24, o que acarretou perfeita sintonia, nas palavras de Carolina, “proporcionando assim um conjunto de soluções que levou à maior segurança de dados, controle absoluto das informações e dashboard com métricas e indicadores, que nos dão uma noção global dos processos do negócio”.

Nesse sentido, para a perfeita integração dos sistemas, há ainda a plataforma Make, a qual permite ao usuário criar e automatizar visualmente fluxos de trabalho, sem depender de recursos do desenvolvedor: “Com ele, é possível aumentar a produtividade em todas as áreas ou equipes, já que qualquer pessoa, mesmo leiga no assunto, pode usar o Make, plataforma low-code para criar integrações entre os sistemas", ressalta Filipe.

E é justamente o desejo por integrar sistemas aliado ao “arrastar e soltar objetos”, para automatizar fluxos de trabalho existentes ou criar processos, que tem feito com que a BR24 esteja registrando alta demanda na procura de suas soluções. “Nossas ferramentas visam atender todas as áreas da empresa, como marketing, vendas, pós-vendas, gestão de demandas de backoffice, comunicação interna e automação de fluxos de trabalho, proporcionando para os nossos clientes, em média, uma economia de 52%, no mínimo, conforme o projeto. Por isso o sucesso é garantido”, informa Filipe.

Outro fator que colabora para a alta procura se dá, segundo Filipe Bento, porque um programador terceirizado cobra, em média, R$ 300 a hora, porém como desenvolvimento é um serviço demorado, da planta à construção, de “tijolo a tijolo”, no fim das contas, o resultado é bem oneroso. Além disso, há o fator pressa. Então, comparando os apps da BR24 a uma casa pré-fabricada, é a alternativa mais viável para quem precisa construir logo, para poder habitá-la, e com pouco dinheiro. “Por aqui, aceleramos o tempo de construção dos mais variados tipos de projetos. Como quem adquire uma casa pré-fabricada fica livre do canteiro de obras, quem nos contrata consegue se libertar da tela preta com informações nada compreensíveis. E, no fim, com tudo pronto, em menos de uma semana, basta resolver alguns pormenores, como pintura e paisagismo [no caso da moradia], e detalhes de interface, no desenvolvimento de programas, permitindo, em ambos os casos, que a pessoa ganhe em termos de tempo e dinheiro e reduza desperdícios e aborrecimentos”.

Share This Post

Post Comment