Previsões para 2023: 5 tendências nas áreas de tecnologia e dados

Previsões para 2023: 5 tendências nas áreas de tecnologia e dados

Na era dos zettabytes, o processamento e armazenamento de uma torrente de dados, bem como a crescente demanda por energia, representam enormes desafios para as empresas — tanto do ponto de vista tecnológico quanto do ecológico. Pensando em 2023, a Western Digital identificou cinco tendências tecnológicas que as empresas devem acompanhar. Veja o comentário abaixo feito por Manfred Berger, gerente sênior de desenvolvimento de negócios da Western Digital, que pode ser usado em recursos de previsões para 2023; alternativamente, teremos prazer em fornecer um artigo assinado.

Tendência 1: A sustentabilidade como força motriz da inovação

A quantidade de dados e o uso de tecnologias modernas, como IA (inteligência artificial), estão crescendo continuamente. Isso também aumenta o consumo de energia nos data centers. Como resultado de um estudo recente, a associação industrial alemã Bitkom prevê um aumento anual da demanda por energia nos data centers de cerca de 3,5% a 5% até 2030. Para a Western Digital, a sustentabilidade e a tecnologia estão inseparavelmente ligadas e estão se tornando fatores de inovação fundamentais. As soluções de armazenamento são um aspeto essencial em termos de energia nos data centers. Por conseguinte, as tecnologias modernas que são eficientes em ambos termos de custos e de energia estarão em demanda. Discos rígidos de hélio são um exemplo.

O gás hélio inerte é hermeticamente selado no compartimento do disco rígido, em substituição ao uso de ar, e tem apenas um sétimo da densidade deste. Isso reduz os efeitos de fluxo que ocorrem quando os discos giram dentro da unidade, bem como a quantidade de energia necessária. Discos mais finos e, portanto, em maior número podem ser colocados dentro do compartimento, de modo que capacidades maiores podem ser disponibilizadas no mesmo formato do HD. Além disso, os HDs de hélio se mantêm mais frios quando em funcionamento comparados aos HDs preenchidos com ar, exigindo menos refrigeração no data center. Isso reduz os custos de energia para refrigeração e operação e influencia positivamente a confiabilidade das unidades.

Tendência 2: O metaverso e o gêmeo digital

O metaverso permitirá preencher a lacuna entre o mundo real e o mundo virtual. Isso significa que o metaverso vai encontrar outra tecnologia-chave no próximo ano: o gêmeo digital. Isso pode ser usado para criar modelos digitais abrangentes de qualquer coisa física ou lógica — desde recursos e produtos simples até ambientes complexos, como redes elétricas, armazéns e fábricas.

Graças aos dados de sensores de IoT, será possível criar gêmeos digitais cada vez mais realistas — como de uma fábrica, por exemplo. As empresas podem então mergulhar nesse ambiente usando tecnologias de metaverso, como headsets de realidade virtual (VR). Isso leva a uma melhor compreensão e a um conhecimento mais profundo dos processos de fabricação reais, sem a necessidade de acessá-los diretamente. Dessa forma, o desenvolvimento e o design de produtos, por exemplo, podem ser melhorados.

Tendência 3: Arquivamento de dados de longo prazo

Com o crescimento constante dos dados, o armazenamento a frio está ganhando importância. Armazenamento a frio é o arquivamento de longo prazo de dados que não são usados de forma ativa imediatamente e são recuperados apenas quando necessários. Isso inclui, por exemplo, informações não estruturadas, como gravações de vídeo vigilância, dados de sensores ou imagens, que oferecem grande potencial para futuras aplicações de IA e análises. O armazenamento a frio é um método de armazenamento de dados barato e cada vez mais disseminado. Até 2025, cerca de 80% de todos os dados digitais poderão ser armazenados em arquivamento.

Tendência 4: Armazenamento em DNA

Novas soluções e inovações são necessárias para arquivar informações por períodos longos de 100 anos ou mais. O armazenamento em DNA, que é um armazenamento de dados digitais baseado na estrutura molecular do DNA, é particularmente promissor. O que parece ficção científica está se tornando viável hoje e pode influenciar significativamente o futuro do armazenamento de dados. O uso de moléculas de DNA como portadoras de dados de armazenamento tem várias vantagens, incluindo uma densidade de armazenamento muito alta e baixo custo de manutenção. A tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento. No entanto, grandes avanços em engenharia e sequenciamento genéticos nos últimos anos, bem como a redução dos custos da síntese de DNA, podem em breve abrir caminho para o armazenamento em DNA no mercado.

Tendência 5: Estratégia de armazenamento inteligente

O armazenamento de dados está cada vez mais se tornando um desafio crítico de negócios para as empresas. Uma razão é a desenfreada explosão de dados. Além disso, tecnologias como IoT, 5G e IA estão estabelecidas no mercado e geram dados não apenas no data center, mas também na borda da rede e nos próprios dispositivos finais. Temos como exemplo a vídeo vigilância em cidades inteligentes, no varejo e na prevenção de crimes. As diferentes áreas de aplicação significam que os requisitos para soluções de armazenamento também variam muito. Até mesmo os formatos diferem significativamente, dependendo de o dispositivo ser, por exemplo, uma câmera de vigilância, um drone ou um robô de fábrica. Um fator de sucesso crucial para as empresas será, portanto, desenvolver estratégias de armazenamento mais inteligentes e, assim, alinhar a arquitetura de armazenamento de dados às necessidades futuras.

Pronto para 2023?

Independentemente da rapidez com que essas tendências progridam ao longo do próximo ano, uma infraestrutura de dados pronta para o futuro é o passo mais importante para as organizações se tornarem orientadas a dados e aproveitarem todo o potencial dos dados. Para 2023, as empresas precisam colocar os dados no centro de sua visão estratégica e atividade empresarial, onde quer eles que residam.

Share This Post

Post Comment