Infraestrutura e sustentação de TI como aliadas do ecossistema de saúde

Infraestrutura e sustentação de TI como aliadas do ecossistema de saúde

Por Rodrigo Dias, Head of Corporate IT

Em uma sociedade 5.0, em que a infraestrutura de tecnologia se torna cada vez mais robusta, a sustentação de TI é um processo fundamental para garantir a disponibilidade e continuidade nos ambientes corporativos. Essa solução tem se consagrado ainda mais importante à medida que o setor de tecnologia se torna mais estratégico para os negócios. Mas como funciona essa sustentação e como pode ser aplicada no segmento da saúde?

A sustentação da infraestrutura de TI é um processo vital para o funcionamento correto dos ambientes em qualquer setor. A prática combina tarefas de controle, otimização e segurança, permitindo que a empresa acompanhe diariamente o ciclo de vida das operações para garantir continuidade e segurança. Além de viabilizar maior agilidade e eficiência, corrige problemas que possam surgir, pois qualquer falha fica devidamente documentada.

Na área da saúde, essa estratégia pode ser a chave para garantir a transformação digital. O setor sempre foi marcado pelo uso de máquinas e equipamentos para realização de exames e atendimento dos pacientes. Hoje, com os intensos e rápidos avanços da ciência e o desenvolvimento de novas tecnologias, as unidades médicas têm à disposição ferramentas e sistemas que otimizam totalmente a gestão e o atendimento de clínicas, laboratórios e hospitais.

A automação de processos, os novos modelos de gestão e principalmente a cultura inovadora têm modificado e aperfeiçoado os fluxos de atendimento, ampliando a produtividade e a segurança dos pacientes. Quando essa transformação começa a ser sustentada desde o início da implantação, pode ser um grande diferencial. Com mais controle sobre as atividades digitais, os gestores também têm mais domínio e segurança para aprimorar a tomada de decisões, identificar falhas, eliminar erros e ainda reduzir custos.

Com frequência, os líderes do setor não conseguem tomar decisões baseadas nas informações reais, produzidas dentro dos hospitais, e acabam utilizando dados incompletos, deixando de colocar em prática medidas mais objetivas e baseadas em indicadores eficazes. Lançando mão da sustentação de TI fica mais fácil obter informações exatas, promovendo atividades mais alinhadas internamente, entre profissionais e pacientes, ou externamente, no cross de instituições.

Para colocar esse processo em ação, a organização precisa contar com uma equipe de TI eficiente ou contratar uma empresa terceirizada que seja especialista no assunto. A sustentação da infraestrutura envolve muitas tarefas e deve ser monitorada constantemente. Também é preciso adotar metodologias de trabalho que mantenham o controle sobre os processos, como a metodologia ITIL e Scrum. Desse modo, será possível executar procedimentos bem definidos e com as melhores ferramentas tecnológicas.

Na era da tecnologia, em que a realidade já inclui a telemedicina, com atendimentos e até mesmo cirurgias on-line, colocar a sustentação da infraestrutura de TI em prática é mais do que uma tendência; trata-se de um caminho obrigatório. Quem não aproveitar essa “onda” para se atualizar e sair na frente, pode perder negócios e oportunidades de evolução.

Share This Post

Post Comment