De acordo com os dados publicados por Rhythm Trader, a moeda chegou a ter um crescimento de 80.000% num período de 7 anos. O uso genuíno das criptomoedas e o crescimento das stablecoins, podem alavancar a nova economia. E mais, instituição brasileira promove oportunidade aos brasileiros para adquirirem criptomoedas a partir de apenas R$50,00.

Durante o inverno das criptomoedas no final de 2018, muitas figuras públicas anti-cripto pediram “a morte do bitcoin”. Considerando o fato de que o BTC caiu de quase US$ 20.000 para cerca de US$ 3.000 em um período de doze meses, ninguém pode culpá-los. Quando se olha para o quadro mais amplo, no entanto, descobre-se que o bitcoin tem experimentado um crescimento sustentável nos últimos 10 anos.

De acordo com dados coletados por Rhythm Trader, especialista e entusiasta da criptomoeda, os dados baixos anuais da BTC aumentaram drasticamente ao longo dos anos. O único ano em que não foi consistente, foi 2015. No ano de 2012, o Bitcoin atingiu uma baixa anual de US$ 4.

Comparando uma baixa de US$ 4 em 2012 para um mínimo de US$ 3200 em 2018 significa um ganho de 80.000% dentro de um período de sete anos.

post de Rhythm Trader foi o seguinte:

“ $4: 2012$65: 2013  $200: 2014  $185: 2015$365: 2016  $780: 2017$3,200: 2018.

Apenas más notícias chegam às manchetesuma década de crescimento sustentado não.”

Com seu post como prova, Rhythm insistiu que o bitcoin cresceu consistentemente nos últimos sete anos. Além do valor do BTC, outras estatísticas mostram que a criptomoeda emblemática fez muito progresso desde o início. De acordo com o Blockchain.com, o hashrate do BTC também aumentou significativamente na última década e ainda existem cerca de 250.000 transações realizadas na rede diariamente.

Mesmo que a queda de preços tenha sido a questão popular no ano passado, muitos desenvolvimentos foram feitos. Jameson Lopp, diretor de tecnologia da BitGo, disse que, “quando você considera cada métrica além do preço, verá que o bitcoin está melhorando diariamente”. Listando muitas estatísticas de alta, Lopp disse que o número de caixas eletrônicos bitcoin aumentou 100% no ano de 2018. Ele também observou que o hashrate dobrou entre 2017 e 2018.

Na frente institucional, a comunidade de criptomoeda também avançou. Segundo especialistas da Intertradec – Exchange & Wallet, empresa brasileira responsável por facilitar o acesso do público à nova economia, o mercado têm crescido apesar das quedas e a perspectiva para o ano de 2019 é de grande aumento no uso genuíno das criptomoedas e no crescimento das stablecoins*. Um dos exemplos da genuinidade é de que este ano deve haver uma expansão do setor de pagamentos criptografados, setor que requer mais serviços que permitem que os detentores de criptomoedas realizem transações sem ter que gastar com inúmeras taxas ou sair da criptografia para fazer pagamentos fiduciários. 

Outro fator relevante do mercado, é que a comunidade de criptomoedas aumentou à medida que mais pessoas se interessaram pelo setor. Tal interesse é consequência da facilidade de acesso ao mercado, autonomia financeira que este proporciona e, de acordo com a Intertradec, que disponibiliza a compra de criptomoedas a partir de R$50,00, a oportunidade para um maior número de brasileiros passarem a utilizar a tecnologia do mercado financeiro digital.

Em 2019, os preços ainda não aumentaram. Isso não significa que o desenvolvimento tenha parado. Ainda há desenvolvimento temático ocorrendo nos bastidores que continuarão até o final do ano e além. Isso foi previsto por muitos especialistas no mundo financeiro. Bitcoin e criptomoedas estão aqui para ficar, apesar do mercado imprevisível, ninguém pode confortavelmente garantir a ninguém o que este ano trará.

*Stablecoins: ativos digitais que têm seu valor atrelado ao de uma moeda fiduciária.

Fonte: Smartereum.