Os alunos evoluíram, e a educação também precisa evoluir

Apesar do crescimento da tecnologia e sua influência sobre as mais diversas áreas, o campo educacional foi o que menos sofreu mudança, mantendo um sistema muito parecido com o passar dos anos. Não acompanhar a evolução digital, entretanto, tem se mostrado um problema, já que o perfil dos alunos também está diferente do das décadas passadas.

As crianças e os adolescentes que frequentam as escolas cresceram em uma época dominada pelo digital, com acesso rápido à internet e tendo sua atenção dividida em vários vídeos, fotos e jogos que lutam por espaço e para chamar a atenção do pequeno consumidor. Assim, a escola acaba parecendo um ambiente desinteressante, e a tarefa de manter a concentração do aluno se mostra cada vez mia difícil.

Parar de tratar os avanços da era digital como inimigo da escola é o primeiro passo para que a educação possa evoluir. Não adianta nada proibir o aluno de mexer no celular em sala de aula e obrigá-lo a se concentrar na leitura de um livro por horas a fio - o hábito da leitura e estudo, além de precisar ser introduzido o mais cedo possível pelos pais, deve estar combinado com elementos de interesse do estudante.

Vários recursos tecnológicos, quando bem aplicados, podem ser grandes aliados na educação. Para aulas de matemática e geometria, programas de modelagem 3D permitem ao aluno visualizar as formas e dimensões, facilitando o entendimento. Em aulas de linguagem, como português e inglês, ferramentas de tradução simultânea ajudam na memorização de significados e na pronúncia de palavras. Videoaulas, apresentações interativas e utilização de imagens também colaboram para manter o aluno interessado.

A utilização de tablets e computadores, com acesso restrito a alguns sites, permite a apresentação de uma aula dinâmica, além da correção de exercícios em tempo real.

Tratar os estudantes, principalmente os mais velhos, como iguais, cria um laço de confiança e entendimento que colabora para o bom aprendizado. Mais importante do que a tecnologia é a relação o mais horizontal possível entre professores e alunos, legitimando suas preferências e propostas em relação ao modelo aplicado na escola.

Entretanto, introduzir um novo modelo de educação dentro das escolas não é tarefa fácil, e aqui, o problema está longe de serem os alunos. Os mais resistentes a uma evolução educacional são os pais e professores mais tradicionais, que defendem um modelo de aprendizagem no qual o aluno é passivo, devendo absorver e repetir os ensinamentos apresentados. Hoje, os alunos querem entender o que é exibido em sala na prática, assim como as aplicações em seu próprio mundo.

Por isso, é importante capacitar os professores e ajudá-los a entender que a tecnologia será uma ferramenta de apoio dentro da sala de aula, além de explicar para os pais como essa relação funcionaria.