Existe um limite para a automatização dos processos de recrutamento e seleção?

Existe um limite para a automatização dos processos de recrutamento e seleção?

De acordo com Alisson Souza, CEO da abler, a agilidade e simplificação de processos não deve anular a experiência positiva na comunicação entre empresas e candidatos

A automação nos processos de recrutamento e seleção tem sido cada vez mais adotada por empresas em todo o mundo. Com o objetivo de otimizar o tempo e a eficiência dos procedimentos, a automação permite que os gestores de recursos humanos concentrem seus esforços em tarefas mais estratégicas, deixando as etapas repetitivas e burocráticas para ferramentas tecnológicas

Além disso, a automação ajuda a garantir a igualdade de oportunidades e a eliminação de viés inconsciente na seleção de candidatos

De acordo com Alisson Souza, CEO da ablerstartup que tem o propósito de trazer facilidade na gestão dos processos seletivos, alguns métodos são ainda mais valorizados quando existe uma automação bem executada. “Entre eles está a parte de convite para as etapas seletivas, quando uma empresa encontra candidatos em alguma base de talentos e os convida para participar. E para deixar os concorrentes clientes, é fundamental o papel da automatização de feedback e avisos, que trarão instruções para o próximo nível”, destaca.

Muitas vezes, as pessoas desconhecem quando essas oportunidades ocorrem. “O candidato sequer sabia que aquele processo seletivo estava disponível, sendo selecionado a partir de seu perfil profissional”, relata.

Quando bem programadas, as questões relacionadas ao retorno e aos feedbacks também são melhores geridas com soluções de automação. “Esse é um dos pontos mais polêmicos ao automatizar o processo de recrutamento. Isso porque, muitas empresas apresentam mensagens genéricas como feedback por e-mail e outros meios de comunicação. Mesmo que o candidato não seja aprovado, é importante oferecer um retorno mais humanizado, mostrando os pontos que fizeram com que ele não fosse escolhido para determinado cargo ou função”, pontua.

Outros pontos destacados pelo gestor são:

  • Triagem de currículos e candidatos;
  • Centralização de informações;
  • Comunicação facilitada pelas redes sociais (WhatsApp e LinkedIn, por exemplo);
  • Automação em correções de testes e provas.

Para Alisson, os principais benefícios das automações estão relacionados ao ganho de produtividade dos recrutadores. “Muitas vezes esses profissionais trabalham com vários processos seletivos em simultâneo e cada um deles pode ter centenas ou até milhares de candidatos, tornando humanamente impossível realizar todas essas ações de forma manual, com feedbacks e gerindo todas essas candidaturas. Portanto, a automação é valiosa para os colaboradores que trabalham diretamente no processo de recrutamento e seleção”, declara

O CEO da abler acredita que, em alguns casos, existe um excesso de automação que não é benéfico para os candidatos e pode acomodar o setor de RH. “Alguns profissionais tentam automatizar pontos estratégicos, que precisam da atuação humana para serem bem executados. As entrevistas são um exemplo claro disso, pois precisam de uma troca de informações em tempo real para que o recrutador possa entender aquele candidato, se ele faz parte da cultura da empresa e outros pontos fundamentais para uma boa contratação. Os próprios feedbacks, por exemplo, também precisam de uma atuação mais humanizada para serem recebidos da melhor forma possível”, finaliza.

Share This Post

Post Comment