Especialista em tecnologia aponta 6 tendências para transformação digital em 2023

Especialista em tecnologia aponta 6 tendências para transformação digital em 2023

Inovações em inteligência artificial e aprendizado da máquina, nuvem e “Tudo como Serviço” (XaaS), trabalho híbrido, automação, Customer Data Platform (CDP) e em cibersegurança. São essas as tendências para a transformação digital das organizações em 2023, na avaliação do especialista em tecnologia Filipe Bento, fundador e CEO da Br24, distribuidora oficial do Bitrix24, plataforma global que reúne 35 ferramentas em um único dispositivo.

Filipe Bento, fundador e CEO da Br24

Para o executivo, que tem quase 20 anos de experiência na área de tecnologia, há muito tempo a transformação digital deixou de ser diferencial, e impõe-se como necessidade para empresas dos mais variados tamanhos e atividades econômicas. “Aproveitando que estamos em início de ano, quando os planos estão fresquinhos e a disposição de colocá-los em prática está a mil, é um bom momento para avaliarmos as tendências e irmos em direção a elas”, afirma.

As seguir, as seis tendências listadas por Filipe Bento:

1. Inteligência Artificial (IA) e Aprendizado da Máquina (ML) no dia a dia

Para o CEO da Br24, a IA e o ML devem ser incorporados ao cotidiano, à rotina da organização. “Um sistema de inteligência artificial brilha quando usado para tarefas repetitivas, tarefas manuais ou para obter informações relevantes a qualquer momento, liberando o tempo dos colaboradores de modo que eles direcionem o negócio para ter o maior impacto positivo possível”, ressalta.

Além disso, continua ele, a tecnologia pode trabalhar 24 x 7 (24 horas por dia, sete dias por semana), sem nenhum limite de horários. Ele acrescenta: “A inteligência artificial deve ser complementada pelo aprendizado da máquina, isto é, com o uso de dados para que a tecnologia aprenda cada vez mais, melhorando sua performance continuamente”.

2. De nuvem a “Tudo como Serviço” (XaaS)

Filipe Bento identifica que o caminho “está aberto para um salto, um próximo nível da tecnologia nuvem”. A tendência, sublinha, “é de surpreendentes inovações nesse item”. O especialista observa ser intenso o movimento das organizações em migrar para nuvem as informações, para acesso “de qualquer lugar, em qualquer hora”.

Esse aumento da demanda tem levado ao desenvolvimento de soluções com melhor escalabilidade e melhores resultados, assinala. “Refletindo esse desenvolvimento, muitas empresas também estão começando a mudar para o XaaS — o “Tudo como Serviço”. Ou seja, todos os produtos e serviços disponíveis como serviços de assinatura baseados na nuvem. Em vez de uma oferta fragmentada, tudo, desde armazenamento, segurança, até comunicações, se torna digitalizado”, explica Bento.

3. Trabalho híbrido veio para ficar

O executivo considera que 2023 marca a consolidação do trabalho híbrido como regra em muitas organizações. “A fase mais crítica da pandemia intensificou o trabalho remoto, e, à medida que a situação foi melhorando, um híbrido entre remoto e presencial foi se construindo. Isso tende a se consolidar, depois do período de adaptação experimentado por empresas e colaboradores”.

4. Automação acelera-se

Para as empresas que ainda não aderiram a esse processo, ou que se encontram em estágio incipiente, há maneiras acessíveis e econômicas de implementar a automação, sugere o CEO da Br24. “Entre elas”, exemplifica, “o uso de softwares robôs, ou RPA (Robotic Process Automation, ou Processos de Automação Robóticos). Ou seja, uso de robôs para tarefas repetitivas, como entrada de dados, admissão ou processamento de folha de pagamento”.

Filipe Bento cita também o recurso de desenvolvimento de baixo código ou sem código (no-code/low-code), com interfaces intuitivas de arrastar e soltar.

5. Cibersegurança

Advertindo que são diárias as notícias sobre ataques cibernéticos, ou tentativas, o especialista aponta a preocupação ainda maior e inovações em cibersegurança como uma das tendências em transformação digital para 2023. “A tendência é a de soluções e investimentos cada vez mais robustos, e acessíveis, em segurança de dados”, crê.

6. Customer Data Platform (CDP) com máquina e personalização

“Do primeiro clique de um cliente em seus canais de mídia social até a verificação do pedido no site, cada interação é uma fonte valiosa de informação”. Com essa afirmação, Filipe Bento ressalta a importância de organizar e traduzir “milhares de pontos de dados ao longo do caminho do cliente em insights úteis”, o que demanda um CDP.

Ele argumenta: “O CDP unifica todos os dados do cliente em uma única visão, conectando esses dados à pessoa real por meio de um perfil em tempo real, o que permite a tomadores de decisão facilmente analisar os insights e agir rapidamente para motivar conversões. É uma tendência que não pode ser ignorada”.

Por fim, o CEO da Br24 frisa a importância de cada gestor olhar para sua organização e obter um diagnóstico sobre o grau de transformação digital em que se encontra, a fim de avaliar as soluções e os caminhos mais adequados.

Share This Post

Post Comment