A b-datum - empresa brasileira focada em soluções inovadoras de segurança digital por meio do monitoramento avançado e inteligente de backup em nuvem acaba de estabelecer parceria com a GL7, especializada em consultoria de segurança, suporte e soluções para infraestrutura de TI. Sediada em Recife, Pernambuco, a GL7 passará a incluir as soluçõbackup-19_09_2012-16_37_31es da b-datum em seus projetos de infraestrutura desenvolvidos especialmente para atender pequenas e médias empresas da região.

Segundo Renato Morcelli, diretor comercial da b-datum, “a parceria com a GL7 reforça a estratégia de crescimento da b-datum através do desenvolvimento de canais em todo o país”, comenta o executivo.

Felipe Lucena, coordenador técnico da GL7, conta que tomou conhecimento sobre os produtos da b-datum durante palestras da Amazon e, após conhecer melhor a empresa, se surpreendeu com a facilidade de uso das ferramentas. “Os recursos como versionamento dos arquivos armazenados, monitoramento inteligente, suporte em português e velocidade de upload realmente agregam valor ao serviço de backup”, comenta.

Com a nova parceria, os clientes terão a disposição uma ferramenta inovadora capaz de realizar backup dos arquivos em nuvem, recuperar dados de forma segura, e validar a integridade das informações por meio de processos automatizados. O backup estará assegurado em um datacenter distante dos postos de trabalho, garantindo ainda mais segurança a cada unidade. Se durante o processo for identificado qualquer problema, o cliente é informado imediatamente. Este procedimento garante que, em caso de necessidade de recuperação, o backup esteja preservado, evitando paradas e falhas na operação.

Para Felipe Lucena a parceria com a b-datum se inicia na expectativa de agregar grande valor a marca da GL7 e ao oferecer às empresas da região uma solução diferenciada de um quesito tão importante que é o backup. “A venda de serviços de TI é bastante delicada, pois é preciso apresentar credibilidade e conquistar a confiança da empresa contratante para que esta permita que uma empresa terceira administre seu parque computacional”, finaliza.