O importante é a empresa ficar atenta aos acontecimentos e manter seus colaboradores informados, diz Paulo Marcelo, CEO da Solutis

O importante é a empresa ficar atenta aos acontecimentos e manter seus colaboradores informados, diz Paulo Marcelo, CEO da Solutis

 

Empresa emprega cerca de 800 profissionais distribuídos em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia

Por Prado Junior

A pandemia do coronavírus alterou a rotina de empresas em todo o mundo. Aqui no Brasil não é diferente. Diante do crescente número de casos, as companhias adotam diversos procedimentos para preservar os funcionários e, ao mesmo tempo, não parar suas atividades.

É o caso da Solutis, tech partner que aposta na jornada digital das empresas, que passou a intensificar a opção de trabalho remoto para os seus profissionais.

“Criamos um comitê para tratar sobre o coronavírus. Estamos enviando comunicados diários sobre a pandemia com orientações para os nossos colaboradores. Criamos um canal de comunicação direto, com endereços de e-mails dos funcionários. Tudo isso para manter todos informados sobre o assunto”, disse ao Instituto Information Management, Paulo Marcelo, CEO da Solutis.

Outras providências estão sendo tomadas pela empresa no intuito de colaborar para a não propagação do vírus. “Suspendemos todas as viagens internacionais. As viagens nacionais, só se for de extrema necessidade. Estamos suspendendo todos os eventos externos e internos. Dentro da empresa, existe distribuição de álcool gel para higienização dos ambientes”, aponta Paulo.

A Solutis, que trouxe a opção de trabalho remoto para os seus profissionais mesmo antes do coronavírus, agora intensifica essa prática. “Todo funcionário que chega do exterior fica em quarentena por 14 dias trabalhando remotamente. Criamos o apoio ao acesso remoto. Para quem não tem a infraestrutura necessária, estamos disponibilizando notebooks, modens e acesso às nossas epns”, informa Paulo.

De acordo com CEO da Solutis, “todas as informações são orientadas por um profissional de saúde ligado ao ecossistema da empresa”, diz.

Para o executivo o importante é a empresa ficar atenta aos acontecimentos e manter seus colaboradores informados. “O impacto psicológico é fundamental nesses casos. O colaborador tem de se sentir acolhido e nutrido com informações. Isso tudo, aliado às providências tomadas pela empresa, traz tranquilidade para ele”, ressalta Paulo.

O impacto do coronavírus na economia é uma realidade. No entanto, o executivo acredita numa recuperação quando as coisas acalmarem. “Acredito que o Brasil possa tirar boas lições com essa pandemia. Aprendemos muito com o que aconteceu na China e Europa. É claro que a Bovespa, por exemplo, não vai se recuperar desse baque neste ano. Mas, se houver entendimento entre governo e Congresso Nacional, podemos sair melhor do que se espera”, afirma Paulo Marcelo.

Outras empresas

A Online Data Cloud - fornecedora de soluções em TI e especialista em hospedagem em nuvem anunciou uma medida que vai contribuir largamente para que seus clientes possam adotar o trabalho home office. "Muitos clientes já estão manifestando interesse em manter grande parte dos colaboradores trabalhando em suas casas. Trata-se de uma iniciativa importante para tentar conter a transmissão do covid-19 (coronavírus). Para funcionar sem comprometer o desempenho das empresas é preciso ter capacidade de transmissão aumentada. Por isso estamos dobrando completamente sem custos a banda contratada por nossos clientes", diz Adriano Filadoro - diretor-presidente da empresa.

A ESET também tomou providências com relação a contenção do coronavírus.

- Evitar viagens pessoais e profissionais para países com transmissão sustentada (atualmente são China, Coréia do Sul, Japão, Irã, Europa e Estados Unidos) e para outros países que apresentaram casos.

- No caso de retornar de uma viagem a países com transmissão sustentada, o colaborador deve permanecer trabalhando em casa pelas próximas duas semanas de chegada, monitorando seus sintomas e consultando o serviço de saúde correspondente.

- No caso de retornar de uma viagem a um país com infecções, mas não considerado de transmissão sustentada, o colaborador pode continuar trabalhando no escritório, mas deve tomar medidas extremas de higiene e estar alerta aos sintomas. 

- No caso de apresentar algum sintoma, o colaborador deve consultar o serviço de saúde imediatamente. De qualquer forma, é importante discutir o caso com o RH antes de retornar ao escritório.

- Evitar a participação em eventos e conferências com multidões onde não é possível garantir que as pessoas presentes não tenham visitado países com transmissão sustentada nos últimos 14 dias.

- Minimizar as reuniões presenciais com pessoas de fora da empresa. Nos casos em que devem tê-las, obrigatoriamente e devido a medidas de segurança, deve-se consultar se as pessoas participantes apresentaram algum dos sintomas ou se, nos últimos 14 dias, visitaram países com transmissão sustentada.

- Evitar cumprimentos com beijos e abraços, já que o vírus é transmitido pelo contato direto com a respiração que uma pessoa infectada pode expelir ao tossir ou espirrar ou ao tocar em superfícies contaminadas 

- Lavar as mãos com água e sabão frequentemente. São disponibilizados álcool em gel nas ilhas e salas da empresa para o uso dos colaboradores.

- Cobrir o nariz e a boca com a dobra do cotovelo ou usar lenço descartável ao tossir ou espirrar

- Manter uma ventilação eficiente dos ambientes

- Limpar frequentemente superfícies e objetos usados na empresa

- Caso apresente febre ou sintomas respiratórios (tosse, dor de garganta ou dificuldade em respirar), não é recomendado que o colaborador efetue a automedicação. É indicado seguir recomendações da jurisdição do país em que reside e procurar atendimento médico.

- Em caso de dúvida sobre alguma das orientações, o colaborador pode entrar em contato com o RH.

"Na ESET, a segurança digital e física de todos os colaboradores é prioridade. Em relação à pandemia de Coronavírus, assumimos essas diretrizes e recomendações da empresa”, explica Marcelo Carnero, gerente de RH, finanças e sustentabilidade da ESET na América Latina.