GPT-4: nova versão do modelo traz novidades para o mercado

GPT-4: nova versão do modelo traz novidades para o mercado

A OpenAI, criadora do modelo generativo GPT, lançou a nova versão da sua inteligência artificial. O GPT-4 apresenta diversas novidades em relação ao seu antecessor. A primeira grande mudança está na quantidade de parâmetros utilizados no modelo. Para o GPT-3, a base era de 175 bilhões de parâmetros, e alguns especialistas falam em mais de um trilhão de parâmetros sendo utilizados na nova versão. A utilização de mais parâmetros impacta diretamente a qualidade do texto produzido pelo modelo, trazendo respostas que se parecem mais com texto escrito por pessoas, bem como um conteúdo mais assertivo. Segundo a própria OpenAI, o novo modelo traz uma melhora de 40% em sua capacidade de fornecer informações factualmente corretas.

Outra diferença significativa na nova versão do GPT está no tamanho da "janela de contexto" do modelo, que pode ser entendida como a memória da IA sobre o que você conversou com ela no passado. Essa janela agora é cinco vezes maior do que a do modelo anterior, o que permite uma nuance de conversa mais aprofundada, e respostas que levam em consideração não só a pergunta atual, mas o que foi trocado no passado entre o usuário e o modelo.

Uma terceira novidade apresentada pela OpenAI é a capacidade do novo GPT de receber como entrada, além do texto, imagens. Onde antes o modelo só recebia textos como entrada, agora ele consegue entender a combinação de textos e imagens. Isso gera, por exemplo, a possibilidade de pedir ao modelo para descrever o conteúdo de uma imagem ou foto. Isso é possível porque, diferente da versão 3, o GPT-4 foi treinado com conteúdo de texto e com imagens coletadas da internet. Houve uma ampliação significativa também na base de treino utilizada para a construção do modelo.

Segundo Thoran Rodrigues, CEO da BigDataCorp e especialista em dados e inteligência artificial, a disponibilização do GPT-4 é uma ótima notícia para desenvolvedores, empresas e para o mercado como um todo. "A ampla disponibilidade no mercado de um modelo avançado de inteligência artificial tem o potencial de trazer benefícios para os mais diferentes aspectos da sociedade, através da automação de todo tipo de atividades. Estamos falando de sistemas de atendimento mais inteligentes, de assistentes digitais que realmente podem nos ajudar no dia-a-dia, e até mesmo na construção automática de programas de computador, que é a forma como já estamos utilizando esses modelos hoje na empresa", comentou.

A BigDataCorp, maior datatech da América Latina, que completa 10 anos de fundação este ano, foi uma das primeiras empresas no Brasil a ter acesso a essa tecnologia e utilizá-la no dia a dia. A empresa obteve acesso aos chamados Large Language Models ainda em 2022, e já implementou a sua utilização na coleta e estruturação de dados públicos -- sua principal atividade. Os resultados da aplicação da versão antiga já estão disponíveis para todos os clientes da BDC.

Em janeiro, segundo o banco de investimento UBS (Union de Banques Suisses) o ChatGPT, da OpenAI, ultrapassou a marca de 100 milhões de usuários mensais. A tecnologia auxilia não somente em situações mais simples, como também complexidades em outras áreas e setores como:

  • saúde: auxiliando a marcar consultas, responder perguntas e na triagem de pacientes em clínicas e hospitais;
  • finanças: pode ser um assistente financeiro, oferecendo informações sobre serviços bancários e ajudando a entender quais os melhores investimentos para o perfil de cada cliente;
  • educação: pode contribuir no ensino e aprendizagem, facilitando a alfabetização, descobrindo novos vocabulários e revisando erros ortográficos instantaneamente;
  • acessibilidade: pode automatizar o processo de descrição de imagens e leitura de conteúdo, tornando mais conteúdo acessível para toda a população;

Share This Post

Post Comment