O Gartner divulgou recentemente os resultados do 2020 Blockchain Platform, estudo que avaliou mais de mil projetos de blockchain realizados em todo o mundo no ano passado. A análise apresenta três conclusões chave, apontando que o interesse em soluções de blockchain continua alto; que os projetos estão sendo implementados em todas as regiões do mundo; e que três tecnologias têm concentrado a maioria deles, com destaque para o Corda, desenvolvida pela R3.

Sobre o interesse do mercado, o estudo ouviu cerca de 53 provedores de soluções e estes relataram mais de mil projetos ao longo de 2020, com 14% deles já em produção. Na maioria dos casos, as organizações têm se concentrado em casos de uso que garantam suporte a eficiência dos negócios e são estes que estão entrando em produção em ritmo acelerado.

O estudo também apontou que todas as geografias estão experimentando soluções de blockchain. No entanto, os projetos realizados na China e na região Ásia-Pacífico (APAC) estão entrando em produção muito mais rapidamente do que na América do Norte, por exemplo. Aqui, a análise também conclui que o patrocinador do projeto - em grande parte áreas de negócio - tem afetado forte e positivamente os casos de uso selecionados para testes e as probabilidades de que estes testes se tornem projetos em produção.

Sobre as tecnologias utilizadas nestes projetos, o Gartner ressalta que três delas concentram mais de 75% dos projetos, com mais de 20 outras sendo utilizadas nos 25% restantes. Ainda assim, muitos destes projetos utilizam somente um número limitado de funcionalidades blockchain - essencialmente ledgers distribuídos e smart contracts.

Crescimento

A plataforma Corda, presente em 40% dos projetos, é a mais utilizada. O volume é apontado pelo Gartner como um ressurgimento, uma vez que, em 2018, a tecnologia era utilizada em 15% dos projetos, caindo em 2019. Em 2020, o Corda ressurge, ultrapassando a Hyperledger Fabric e o Ethereum.

De acordo com a pesquisa, esse crescimento pode estar ligado ao lançamento do Corda Enterprise pela R3, empresa de software corporativo, em 2018 e 2019. Também ficou claro que a plataforma agora é utilizada muito além dos serviços financeiros, onde era originalmente empregada: 45% dos casos de uso relatados estão fora das verticais de bancos, títulos e seguros. Entre estes segmentos, destaque para o comércio atacadista, manufatura e recursos naturais e verticais governamentais, todos relatados como principais usuários.

O estudo completo do Gartner pode ser acessado aqui .