De acordo com o Gartner, a maioria dos CEOs espera condições positivas para os negócios e as inovações tecnológicas aceleradas para este ano. Segundo a pesquisa “CEO Survey 2015”, o crescimento ainda é prioridade máxima e as mudanças relacionadas à tecnologia são vistas como a principal ferramenta para atingir esta meta até dezembro e em 2016. Esse e outros dados serão apresentados na Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management, em junho, na capital paulista.

"Todos os anos, pedimos aos CEOs uma lista com suas cinco prioridades para os negócios. Neste ano, o crescimento foi, mais uma vez, citado como a principal preocupação", diz o vice-presidente e associado do Gartner, Mark Roskino.  "Contudo, as menções explícitas ao crescimento foram inferiores ao ano passado. Atribuímos este declínio não a um menor interesse em crescimento, mas ao interesse crescente no mecanismo que irá propiciá-lo.”

A pesquisa foi realizada com 400 líderes de negócios de organizações globais durante três meses. A maioria das empresas participantes do levantamento possui receita anual igual ou superior a 1 bilhão de dólares. Os resultados indicam condições positivas para os negócios, embora não espetaculares, num cenário no qual a estabilidade é fundamental para garantir investimentos estratégicos.

"A segunda categoria mais importante entre as prioridades para os negócios em 2015 e 2016 está relacionada à tecnologia. Essa é a posição mais alta já alcançada por este item na pesquisa, desde 1999, e acreditamos plenamente que os CEOs estejam mais concentrados do nunca nesta área", diz o analista do Gartner. "Quando examinamos o contexto das respostas, o interesse dos CEOs em tecnologia se torna óbvio. Mais da metade das respostas está relacionada a questões tecnológicas de receitas e crescimento, tais como a multiplicidade de canais, o e-commerce e o comércio móvel.”

Os tópicos referentes ao consumidor permanecem no plano principal para a maioria dos entrevistados. Sobre investimentos em tecnologia nos próximos cinco anos, 37% dos líderes de negócios classificaram a gestão participativa dos consumidores como uma capacidade de liderança proporcionada pela tecnologia, seguida por digital marketing (32%) e business analytics (28%).

Os negócios baseados em nuvem também alcançaram alto reconhecimento, uma vez que os CEOs perceberam que este é o local onde as novas plataformas industriais de ruptura e controle são criadas. No entanto, a revelação da pesquisa deste ano foi a ascensão meteórica da internet das coisas, tecnologia que apareceu muito pouco nos anos anteriores.

Com o digital começando a alterar fundamentalmente a natureza da indústria, os CEOs também estão mais preocupados com segurança e riscos. Segundo a pesquisa, 77% dos líderes concordam que "o mundo digital está criando novos tipos e níveis de risco para os negócios", e 65% percebem que "os investimentos em práticas de gestão de riscos não estão acompanhando os novos e mais altos níveis de risco".