Os resultados fiscais de um momento de instabilidade generalizado são variados e refletem em um ponto de atenção fundamental para o futuro das empresas nacionais

*Texto de Régis Lima

O Brasil é mais um dos inúmeros países afetados pela pandemia de COVID-19. Infelizmente, os números referentes ao vírus em solo brasileiro justificam uma preocupação fervorosa de autoridades em amenizar os efeitos danosos para a economia do país. Claro, sob o compromisso inquestionável de priorizar o bem-estar e a saúde da população. Entre as medidas de contenção econômica, mudanças e extensões em transações, pagamentos, novas datas relacionadas a obrigações postergadas, são exemplos que configuram um quadro fiscal extremamente dinâmico. Nos próximos meses, assim como agora, as empresas terão que aplicar ações emergenciais, sempre em harmonia com a conformidade vigente.

É difícil indicar com exatidão a retomada da economia após um momento tão prejudicial como o que vivemos atualmente. Para os gestores, coloca-se em pauta meios de se garantir a sobrevivência de seus negócios, absorvendo questões problemáticas provocadas pelo coronavírus. Desde já, a elaboração de um planejamento estratégico terá impacto direto no futuro pós-pandemia.

Tudo isso vai passar. E quando acontecer, algumas ferramentas serão determinantes para o bom funcionamento de atividades fiscais. Pensando nisso, preparei um artigo voltado para o papel do BPO nesse sentido. Acompanhe!

Os desafios de um novo quadro fiscal

Não é novidade a complexidade do contexto fiscal brasileiro. Em decorrência do período de COVID-19, esse assunto ganhou novos aspectos que exigem um cuidado estratégico. O acúmulo de obrigações será apenas mais um dos problemas a serem sanados, e o BPO, através de seus serviços terceirizados, poderá puxar para si a responsabilidade de conduzir processos delicados para a saúde financeira das empresas, com a segurança de profissionais especializados.

Trata-se de uma solução simplificadora, ou seja, um método extremamente funcional de facilitar a vida do gestor ou empresário. Em tempos instáveis, no qual o mercado se encontrará em recuperação de um trauma econômico sem precedentes, a margem para erros e falhas críticas estará ainda menor. Quando se traz esse conceito para a segurança fiscal, qualquer imprevisto pode ser fatal para a saúde financeira da organização. O BPO entra justamente para preencher esse espaço.

Protagonismo do BPO é trunfo para empresas

As consequências da pandemia para a cultura organizacional de qualquer empresa são praticamente imponderáveis. De modo geral, uma mudança drástica na forma de trabalho teve de ser implementada, quando mencionamos o serviço remoto e a transição para o home office. Com a inserção de novas medidas relacionadas a obrigações fiscais, torna-se urgente a reorganização de dados de forma inteligente, consolidando um gerenciamento documental totalmente atualizado com as mudanças momentâneas.

Contar com serviços terceirizados de gestão tributária não só coloca um setor essencial da empresa em plena estabilidade de fiscalização, como possibilita o deslocamento estratégico de líderes para outras tarefas, que demandam um imediatismo tão importante quanto. Consciente de que a parte fiscal estará em mãos seguras, o gestor terá uma preocupação a menos, fator extremamente bem-vindo em um cenário pós-pandemia.

Eficiência é um dos remédios mais indicados

Não será fácil reconstruir pilares operacionais e retomar a normalidade após esse período conturbado. Mas se é possível afirmar com exatidão algo relacionado ao futuro que nos aguarda, é que a eficiência nas atividades deverá se manter em um nível de excelência sem igual. O BPO, junto da automação como fator preponderante para o cálculo de impostos e a consolidação de uma gestão fiscal responsável e atualizada em tempo real, será um dos maiores aliados para líderes que priorizam uma caminhada segura após o coronavírus.

Não se trata de especular ou formular projeções sem embasamento concreto, mas de aceitar as consequências e aprender com elas, encontrando oportunidades de crescimento em meio à adversidade. A terceirização de processos fiscais vai de encontro à essa mentalidade, e pode auxiliar os que buscam por alternativas plausíveis de se assegurar uma retomada fiscal segura e sem maiores dores de cabeça.

Como você enxerga o papel do BPO no cenário pós-pandemia? Faça essa reflexão e participe do debate!

*Régis Lima tem mais de 20 anos de experiência em Gestão de Equipes e atuação em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais do mercado de TI. Atualmente é diretor executivo na Lumen IT.