por Fabio Costa, presidente da VMware no Brasil

Empresas e empreendedores que assumem o conceito 'verde' em seus processos de produção partilham os mesmos objetivos: melhorar a eficiência, reduzir custos, reduzir o consumo de energia, melhorar a ecologia do planeta e evitar a emissão de resíduos tóxicos.

A tecnologia da informação (TIC) pode contribuir nesse desafio mundial. Considere-se que a adoção de um modelo de negócio ‘verde’ envolve a implantação de uma ‘cultura’ de transformação em gestão de negócios a partir da própria área de TI e causa impacto em todas as soluções tecnológicas aplicadas ao negócio.

Ao se mudar a cultura corporativa, conceitos como cloud computing e processos de virtualização facilitam hoje a adoção de iniciativas como o "escritório sem papel", por exemplo, que reduz o consumo de energia investida na produção e na impressão de toneladas de papel. É uma forma eficiente de se reduzir ainda mais o consumo e o desperdício. Ou o "escritório virtual", com os empregados que trabalham em equipe, mas à distância, e com apenas um computador conectado à rede.

As empresas também podem aplicar estratégias ‘verdes’ em todas as suas instalações, incluindo:
• Reduzir o consumo de energia elétrica nos horários de pico
• Incentivar e patrocinar seus funcionários a usar transporte público e, assim, contribuir a reduzir a emissão de poluentes
• Adotar a compostagem de resíduos alimentares para transformá-los em fertilizantes e muito mais

A mudança 'verde' significa transformação mais profunda da infraestrutura da TI existente, em particular do data center, já que é o principal  gestor de toda essa informação crítica e processos e também o maior consumidor de energia.

Chegar ao data center "verde"

Mais do que possível, desenvolver o data center é basicamente essencial, se uma empresa quer fazer a diferença 'verde'. De acordo com o Gartner, os data centers nos Estados Unidos consumiram, em 2006, o equivalente a US$ 4,5 milhões em energia elétrica. Nos cinco anos subsequentes, a maioria dos data centers corporativos investiram quase o mesmo valor em energia (incluindo refrigeração e eletricidade) do que em infraestrutura de hardware.

Uma opção para as empresas seria adotar virtualização e consolidação de servidores. Cada servidor virtualizado (nos EUA) economiza 7.000 kWh de energia elétrica e representa quatro toneladas a menos de dióxido de carbono poluindo nossa atmosfera.

Para as empresas, implantar soluções de virtualização e consolidação de servidores traz, entre outras coisas:
• Redução de 50% nos custos de armazenamento, operação e investimentos em hardware
• Eliminação de hardware excessivo a uma proporção de 10:1
• Redução de até 80% no consumo de energia em refrigeração e eletricidade necessária para a operação

Além de eficiência e rentabilidade que as novas tecnologias de virtualização representam, a empresa que adota o conceito ‘verde’ aumenta a longa lista de organizações que aderem à filosofia "verde" para preservar o planeta e colher os benefícios das novas tecnologias da informação.