As futuras redes corporativas custarão cerca da metade do que as redes tradicionais custam hoje. Isso porque elas ficarão mais fáceis de serem gerenciadas e para promover acesso unificado, exigindo menos energia e resfriamento, o que trará uma economia de custos significativa.

É o que mostra o Network Barometer Report 2013 - que foi divulgado  pela Dimension Data, multinacional focada em serviços de tecnologia da informação e provedora de soluções de planejamento, suporte e gerenciamento de infraestrutura de TI - envolvendo a participação de mais de 1200 organizações de todos os tipos e setores da indústria em todo o mundo. Publicado pela primeira vez em 2009, o relatório se refere a dados do Dimension Data Tecnology Lifecycle Management Assessment.

Segundo a edição 2013, a maioria dos campos de rede é composta por cerca de 80% das portas sem fio servindo usuários individuais e 20% das portas de WLAN suportando múltiplos usuários. Entretanto, há uma onda crescente de usuários pelo mundo que tem levado as organizações a criarem ambientes propícios ao BYOD que aponta para uma era de mobilidade corporativa que inevitavelmente mudará a estrutura das redes.

Raoul Tecala Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Dimension Data para Integração de Redes, diz que os usuários de hoje querem a liberdade de se mover como quiserem e ainda serem capazes de acessar a informação e as ferramentas que eles precisam de onde quer que eles estejam, usando seus próprios equipamentos.

“Quando comparamos as redes tradicionais com fios que suportam 100 usuários às redes sem fio do mesmo tamanho, a redução em hardware físicos – LAN, Switches, cabos e controles LAN sem fio – faz com que a rede sem fio custe até 50% menos. Além das economias financeiras, a operação e o gerenciamento desses usuários também fica reduzida. Na nossa opinião essas economias de custo se acrescentam aos benefícios documentados de uma força de trabalho mobile e conduzirão a uma adoção de mobilidade corporativa numa velocidade jamais vista”.

De acordo com Tecala, os dados do Network Barometer Report de 2013 indicam que as organizações não estão atualizando suas redes para mobilidade corporativa ou ambientes de BYOD tão agressivamente quanto o esperado, mas isso inevitavelmente mudará para acomodar a nova estrutura de redes futuras e a economia de custo que isto trará.

“Nós aconselhamos os clientes a pensar, planejar e calcular mais arquiteturalmente, ao invés de reativamente, quando renovarem suas redes. A pressão para fornecer uma BYOD e a mobilidade corporativa que vem de um ambiente sem fio só crescerá no futuro”, ele conclui.