O momento da pandemia e a crise de saúde global geraram alguns cenários de instabilidade, de recessão econômica acelerada, que tornou crítica a necessidade de decisões rápidas e mais assertivas dos executivos. Mas ter esta consciência não é o suficiente, é preciso ter uma estratégia e agir rapidamente para que as oportunidades sejam aproveitadas e os riscos mitigados.

Segundo o Gartner, as decisões dos executivos de sucesso combinarão não só a esfera tradicional de faturamento, risco e custo, mas também a segurança, a continuidade e a resiliência do negócio, bem como o peso social da decisão, priorizando a comunidade, o emocional e a ética.

Para avaliar o peso e a complexidade das decisões em resposta a este momento de pandemia, pode-se ter como exemplo a primeira grande decisão que a maioria das empresas deverá tomar no âmbito de tecnologia: a continuidade do negócio no modelo home office e a abertura emergencial de canais digitais de vendas e atendimento. Neste cenário, alguns fatores precisarão ser priorizados: rápida disponibilidade e experiência dos colaboradores aliadas a uma estratégia de custo que torne viável esta implementação e sua continuidade. Para isto, as tecnologias em nuvem serão preponderantes neste momento, um driver acelerador da transformação rápida, trazendo alguns anos de evolução a serem realizados em curto espaço de tempo.

Porém, utilizar nuvem não é simples. Fazer uma gestão de custo especializada dos ambientes de cloud, garantir otimização e a adequação constante dos custos à nova realidade do negócio tornarão viável a utilização do ecossistema de nuvem, que possibilitará a agilidade que o negócio necessitará nestes novos momentos que virão. É assim que a disciplina de FinOps se torna o braço direito do negócio, aproximando o resultado da nuvem à performance que a empresa está viabilizando em tempos de pandemia.

Além da gestão de custo, é importante estar atento à gestão de segurança que precisa se adaptar ao “novo normal” do home office, com informação distribuída e com a exposição de capacidades por meio de novos canais digitais, integrando rapidamente toda uma cadeia de fornecedores, que sofrem com uma nova visão de logística no mercado.

E acima de toda esta operacionalização horizontal do mercado, que tem sido viabilizada por tecnologias em nuvem, observa-se a necessidade de agregar e modernizar o negócio em curto espaço de tempo. Com base neste raciocínio, uma crescente tendência é fortalecida: a integração com soluções em SaaS (Software as a Service). O uso de soluções prontas, ágeis na implantação, nativas para a nuvem e pensadas no “pague pelo uso” são o caminho de viabilizar de forma confiável, flexível e rápida na transformação digital ou, para aqueles que ainda estão se encontrando na “adaptação digital”.

A realidade é nova, o contexto mudou, e os executivos precisam estar conectados com este outro mindset, com acesso as melhores tecnologias e os melhores parceiros para uma melhor tomada de decisão. E é com esta visão que grandes empresas vêm aplicando fortemente a transformação digital, utilizando as melhores tecnologias e metodologias em nuvem para acompanhar todos os parceiros nesta mudança.

 

Daniel Quintão

Diretor de serviços Cloud do Grupo Stefanini