Produtividade, segurança e compliance: como a automação está transformando os negócios

Quando a automação começou a ganhar força no mercado, estava conectada a sua essência: uma tecnologia que permitia que máquinas concluíssem diferentes tarefas com o mínimo de intervenção humana. Hoje representa muito mais do que isso, tendo se tornado um importante motor para alavancar a inovação e o desenvolvimento de diferentes setores. Na era 5G, possibilita alta largura de banda e baixa latência para fomentar soluções como drones e carros autônomos, além de ter importante papel nas telecomunicações; na agricultura, é fundamental para a operação do maquinário, habilitando mais produtividade; na indústria financeira, possibilita transações em segundos. Em todos os segmentos, é capaz de conectar componentes da Internet das Coisas (IoT) e distintos ambientes de TI, sendo indispensável para a segurança de redes e serviços, e para proteger usuários e dados de ataques cibernéticos.

"Dado o volume e a variedade de riscos e ameaças atuais, assim como seu dinamismo, fica impossível realizar controle manual. A automação é a chave para lidar com a escala, ganhar repetibilidade e tornar os processos de segurança contínuos sem automação. Implementada de maneira correta, ela dá às equipes o poder necessário para fortalecer a organização e mitigar ameaças de forma ágil - e velocidade é o que muda o jogo quando falamos em segurança", explica Alejandro Raffaele, head de TME (Telecomunicações, Mídia e Entretenimento) para a América Latina na Red Hat.

Diretamente conectada ao compliance, a automação de segurança é impulsionada pela necessidade de alinhamento com distintas regulações, práticas recomendadas e diretrizes do setor, bem como políticas e procedimentos internos das empresas. Esses requisitos, combinados com restrições nos recursos humanos disponíveis para realizá-los, tornam a automação fundamental para o sucesso.

Orquestração com a nuvem

Gartner prevê que, até 2025, 70% das organizações vão implementar uma estratégia de automação estruturada para oferecer flexibilidade e eficiência. Esse crescimento está conectado à acelerada adoção de outras tecnologias, como a Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning. Além disso, caminha lado a lado com a ascensão de outra importante ferramenta: a nuvem.

De acordo com dados da IDC, em 2026, 40% das ofertas de infraestrutura, segurança, dados e rede na América Latina exigirão plataformas de controle baseadas em nuvem, que permitem ampla automação e prometem grandes reduções nos custos operacionais contínuos. Considerando uma realidade de TI cada vez mais híbrida, a automação também ajuda a reduzir a complexidade de gestão. "A automação pode conectar o gerenciamento de ambientes híbridos e de multinuvem com um conjunto único de processos e políticas para melhorar a consistência, a escalabilidade e a velocidade das organizações", afirma Germán Soracco, VP de Vendas e Cloud para a América Latina na Red Hat.

Cuidados de escolha

Embora o mercado ofereça distintas opções de plataformas de automação de código aberto é preciso estar atento a algumas diferenças entre elas. Soluções abertas que são gratuitas, em sua maioria, são desenvolvidas pelas comunidades para funções específicas, e não atendem às necessidades de um ambiente de TI empresarial, complexo e regulado. Além disso, não oferecem suporte quando há problemas, bugs ou para a implementação de novos recursos; tampouco permitem a resolução proativa de problemas. "Sem testes prévios, esses projetos de automação são ad hoc e não se alinham a uma visão estratégica para que as empresas melhorem a eficiência, a produtividade e o ROI", conta Paulo Bonucci, SVP e General Manager da Red Hat para a América Latina

A vantagem surge, porém, ao se trabalhar com soluções que combinam o melhor de dois mundos: software open source adaptável a cada negócio e um modelo de subscrição de serviços e suporte. "Red Hat Ansible Automation Platform é um produto de subscrição que não apenas responde a um imperativo comercial, mas também ajuda a criar manuais de automação que as equipes de operações podem gerenciar e escalar estrategicamente em toda a empresa", reforça Paulo Ceschin, diretor de vendas da Red Hat Brasil.

Apontado como líder pela Forrester Research no relatório The Forrester Wave™: Infrastructure Automation, Q1 2023, o Red Hat Ansible Automation Platform oferece ao mercado versões altamente reforçadas e testadas, com suporte 24 horas por dia, sete dias por semana, disponibilizado pela Red Hat e seus parceiros de tecnologia. "Estamos falando da entrega de suporte e de ferramentas necessárias para criar, implantar e gerenciar a automação de ponta a ponta em escala. É uma base resiliente, focada em segurança e estável para implantar a automação de datacenters físicos, entre nuvens e edge", explica Thiago Araki, diretor sênior de tecnologia e GTM da Red Hat para a América Latina.

Com o Red Hat Ansible Automation Platform, gerentes de TI podem controlar como a automação é aplicada nas equipes, enquanto os desenvolvedores mantêm a liberdade de escrever tarefas que usam o conhecimento existente, sem restrições de sobrecarga operacional ou estruturas complexas. Outro diferencial é o fornecimento de controle e governança sobre o acesso ao conteúdo de automação.

Segundo dados da IDC, até 2026, as deficiências na criação de habilidades críticas e nos esforços de treinamento dos líderes do setor de TI impedirão que 70% das empresas obtenham valor total dos investimentos em nuvem, dados e automação. "Com o Red Hat Ansible entregamos serviços especializados de consultoria e treinamento para definir e implementar novas estratégias e processos de automação, transferindo conhecimento e ajudando nossos clientes a desenvolverem novas habilidades para quebrar essa barreira", pontua Alexandre Duarte, VP de Serviços para a América Latina, na Red Hat.

Benefícios práticos

As empresas que contam com uma estratégia de automação baseada no Red Hat Ansible Automation Platform encontram um alto valor agregado, com comprovação de custo-benefício. Estudo recente da IDC com essas companhias prevê, em cinco anos, uma economia média de US$ 21,5 milhões por organização, com menos custos de TI, maior eficiência da equipe, melhor desenvolvimento de aplicações e melhores resultados de negócios. Comparado ao custo médio de US$ 2,8 milhões por organização também em cinco anos, os níveis de benefícios e custos de investimento devem gerar um ROI médio de 667%, com um ponto de equilíbrio no investimento do Red Hat Ansible Automation Platform em aproximadamente 10 meses.

Além disso, a adoção da plataforma permite um aumento geral de 30% da produtividade das equipes de infraestrutura de TI. De acordo com a Forrester, a Red Hat dita o ritmo do mercado ao solucionar desafios operacionais, lacunas de habilidades e pressões orçamentárias. Sua força está na comunidade, que levou a sólidas parcerias e serviços de suporte. "Com Red Hat Ansible Platform, as ferramentas já estão totalmente integradas, para que as equipes possam se concentrar em agregar valor comercial com automação em escala empresarial. Trata-se de um caminho positivo, capaz de pavimentar a inovação e levar as organizações a um novo patamar de crescimento sustentável e perene", finaliza Alberto Ramundo, líder de Customer Success para a América Latina na Red Hat.

Share This Post

Post Comment