A computação em nuvem (cloud computing) para armazenamento de dados sem a necessidade de um gerenciamento de infraestrutura, vem conquistando cada vez mais espaço no mundo empresarial. O método é encarado como uma iniciativa de inovação para os negócios, já que pode reduzir os custos, acelerar a implementação de novas demandas, aumentar a escalabilidade e resiliência.

Nesse contexto, as empresas se tornam mais eficientes com o consumo da nuvem e proporcionam novas perspectivas para o empreendimento. Segundo Diego Santos, Head de Inovação e Tecnologia da Nextios, unidade de negócios da Locaweb, ao optar pelo uso da nuvem, os times podem se dedicar para a construção e evolução no ambiente corporativo. Isto é, deixam de se preocupar com a infraestrutura base para focar na convivência do seu cliente. "Você passa a ter mais tempo para cuidar das jornadas do usuário e da inovação contínua na empresa", explica ele.

Como consequência natural deste processo, as organizações passam a ter a oportunidade de reduzir seus custos, consumindo de maneira mais eficientes os recursos oferecidos. O foco do time deixa de ser o cuidado com o servidor, armazenamento, datacenter, de maneira geral, migrando para a otimização do consumo dos diferentes tipos de tecnologias disponíveis para que os arquivos estejam na nuvem.

Outra vantagem importante é a escalabilidade. Isto significa que a empresa pode alçar voos maiores com a certeza de que haverá recursos tecnológicos para suportá-la. Outro ponto de destaque é que o crescente aumento de consumo de dados impacta os complexos processos de manutenção. Com o serviço de cloud, a companhia tem ferramentas à disposição para nivelar a durabilidade, tornando-se mais competitiva e propiciando velocidade ao serviço oferecido.

E, para compreender mais sobre esse sistema, é fundamental conhecer as diferenças existentes. A nuvem pública, por exemplo, oferece disponibilidade sob demanda, como servidores, locais de armazenamento, rede e tantos outros serviços mais sofisticados, sem precisar do gerenciamento do datacenter, hardware e plataformas de virtualização. Neste caso, a empresa paga apenas o que realmente consome, sendo o modelo mais econômico e ideal para pequenas e médias empresas.

Em contrapartida, a nuvem privada foca no isolamento físico e lógico dos ambientes computacionais. Este modelo é utilizado por empresas de grande porte ou que precisem seguir algum padrão de segurança de dados. Além disso, há também a nuvem híbrida, que visa usufruir dos benefícios da nuvem pública e privada direcionando o uso com base no perfil da aplicação, do serviço e necessidade de negócio.

Analise o melhor recurso para o seu negócio
A Nextios, por exemplo, desenvolveu diferentes estratégias para cada tipo de necessidade de negócio, agregando conhecimento e gerando experiências aos clientes. Abaixo, Santos, separou pontos importantes a serem levados em consideração durante a escolha do serviço de cloud. Confira:
Adote uma estratégia consistente e robusta para adoção da nuvem;
Foque nos controles de governança e segurança;
Tenha um plano claro de continuidade dos negócios;
Faça backups e monitore a saúde diariamente;
Use os recursos disponíveis na medida certa para cada necessidade: este mindset equilibrará custo e escalabilidade;
Monitore o consumo dos recursos e sempre busque maior eficiência com o objetivo de reduzir custos;
Usufrua das tecnologias disponíveis para acompanhar os detalhes, como dados do servidor, datacenter e armazenamento;
Não tema o bloqueio de fornecedor de nuvem, tome ciência do que está fazendo e o porquê;
Monitore continuamente o ambiente, a aplicação e a experiência do usuário.
Além de considerar as dicas do especialista, também é importante que você trace seus objetivos com a mudança de estrutura. A empresa precisa ter uma estratégia muito clara e objetiva em relação à jornada de adoção da nuvem para, assim, usufruir de maneira eficaz de todos os recursos oferecidos.