Digital House e Talenses divulgam estudo que também engloba a perspectiva de contratação de profissionais digitais

A Talenses, consultoria de recrutamento especializado, elaborou uma pesquisa em parceria com a Digital House – hub de educação para a formação de profissionais de alta performance para o mercado digital -, para analisar a maturidade digital dentro de empresas com atuação no Brasil, nos setores de comércio, serviço e indústria. O estudo, realizado com 102 companhias de todos os portes, apontou que a indústria ainda é o setor menos digitalizado, com apenas 36% dos respondentes declarando ter um bom nível de organização digital. Em primeiro lugar está o setor de serviços, com 52%, seguido pelo comércio, com 41%. Essa organização digital também é maior em empresas de grande porte, sendo 43,3% delas consideradas organizadas digitalmente.

“A transformação digital é um caminho sem volta. As empresas de diferentes segmentos precisam passar por essa adaptação caso queiram continuar existindo de forma saudável, produtiva e moderna. No entanto, apesar de muitas empresas estarem atentas a esse movimento, já que 88% das companhias entrevistadas afirmaram demandarem profissionais digitais, a capacitação oferecida pelas próprias companhias está aquém do necessário: na indústria, por exemplo, apenas 29% das empresas oferece treinamento digital”, diz Luiz Valente, CEO do Talenses Group.

Para Carlos Alberto Júlio, CEO da Digital House, a transformação exige uma mudança de mindset bastante complexa. “Ter profissionais digitais é o embrião necessário para provocar uma transformação e, mesmo que os empresários saibam da teoria, muitos ainda não iniciaram a tarefa de colocar em prática treinamento de colaboradores sênior”, diz o CEO. Júlio ainda aponta que entre os cinco profissionais mais buscados estão analista de dados, analista de marketing digital, cientista de dados, especialista em customer experience e UX/UI designer e complementa: “Na contratação de um Gerente, por exemplo, 65% das companhias entrevistadas apontam dificuldade em encontrar um profissional digital, já 62% apontam o cargo de Especialista, seguindo o cargo de Coordenador, com 55%”.

Abaixo os principais resultados revelados na pesquisa:
92% das empresas do setor de comércio estão em busca de profissionais digitais, em seguida vem a indústria, com 91% e o setor de serviços, com 85%.
Infraestrutura é a área mais avançada digitalmente dentro das empresas, com 57% dos respondentes considerando que ela apresenta um bom nível de digitalização. A área de programação vem em seguida, com 51%, e marketing com 50%. Recursos Humanos vem em quarto lugar, com 40%. As piores áreas são Análise de Dados, com 30% e Inteligência Artificial, com 19%.
O ranking dos profissionais digitais mais buscados é: Analista de Dados / BI; Analista de Marketing Digital; Cientista de Dados; Especialista em Customer Experience; UX / UI Designer.

As organizações apontam que o profissional digital deve ter as seguintes características: ser inovador, voltado ao aprendizado contínuo e possuir facilidade de adaptação.

Mesmo com uma alta busca por profissionais digitais em todos os setores, a pesquisa revelou que grande parte das empresas não oferece treinamento interno e nem bolsas de estudo para o desenvolvimento dos profissionais.
No setor de comércio, 50% das empresas disseram oferecer treinamento para o desenvolvimento do profissional digital. Na indústria apenas 29% das empresas oferece treinamento digital e 39% no setor de serviços.

Entre as companhias que investem em bolsas de estudo para desenvolver o profissional com perfil digital, o comércio permanece em primeiro lugar, com 33%, seguido de serviços, com 30%, e indústria com 26%.

As especializações digitais mais difíceis de recrutar são Direito Digital, User Experience e Dados.

As áreas da organização que mais demandam a contratação de profissionais digitais são Tecnologia da Informação (67%), Finanças (64%), Logística (58%), Jurídico (56%).

Os cargos de profissionais digitais mais difíceis de preencher são: Gerente (65%), Especialista (62%), Coordenador (55%), Analista Sênior (40%).

Portanto, nesta primeira pesquisa sobre o assunto, a Talenses e a Digital House notaram que as empresas que atuam no Brasil ainda estão se adaptando ao mindset digital e começam a perceber a necessidade de atualização neste sentido, principalmente na contratação de profissionais que já apresentem essas características e serão cada vez mais disputados pelo mercado.

Fonte: https://inforchannel.com.br/2019/08/09/pesquisa-revela-nivel-de-organizacao-digital-nas-empresas/