Willie Tejada, Chief Developer Advocate da IBM, reforça a importância de desenvolvedores aprenderem as tecnologias que definirão futuro da indústria

Em meio a tantas tecnologias disponíveis no vasto universo que é a indústria - e a internet -, o que desenvolvedores devem ter em mente quando buscarem aprender novas linguagens, disciplinas ou áreas para sempre estar na vanguarda da inovação? Willie Tejada, Chief Developer Advocate da IBM, é categórico ao ressaltar que kubernetes é algo que todo profissional de tecnologia deverá saber orquestrar. "Se desenvolvedores me perguntarem: 'onde eu devo começar orientado para nuvem', eu diria kubernetes”, destaca Tejada em entrevista ao IT Trends. O executivo esteve recentemente no Brasil para a final da Maratona Behind the Code, que aconteceu no IT Forum+, na Bahia.

E por que kubernetes? A plataforma open source automatiza e faz a orquestração de containers Linux, eliminando grande parte dos processos manuais necessários para implantar e escalar aplicações em containers. A tecnologia ganhou destaque com a evolução da nuvem, uma vez que hospeda aplicações nativas em cloud. A plataforma é ainda complexa e relativamente nova para muitos desenvolvedores de software. Para Tejada, é uma questão de tempo até ela se tornar onipresente na indústria.

"Se você pensar, toda indústria tomou uma decisão de que kubernetes é a plataforma, essencialmente, onde as aplicações irão rodar no futuro. Nós nunca tivemos isto na história da indústria. O mais próximo que chegamos foi Java", ressalta ele lembrando que a ascensão da adoção do kubernetes foi uma das principais razões que levou a IBM a comprar a Red Hat.

Além do Kubernetes, o executivo destacou outras quatro tecnologias essenciais para desenvolvedores se manterem ativos - e sempre requisitados - no mercado de tecnologia. Confira abaixo:

Ciência de Dados

"Ciência de dados, porque dados são o combustível que alimentará a inteligência artificial”, reforça Tejada.

O profissional que possui habilidades em análise e ciência de dados está em alta no mercado de trabalho. Mas, o que um cientista de dados precisa saber, afinal? Além de ter conhecimentos em programação, ele precisa saber criar modelos estatísticos e ter o conhecimento e domínio apropriado de negócios. Precisa também compreender as diferentes plataformas de Big Data e como elas funcionam. Criatividade também é uma habilidade necessária ao cientista de dados, pois ele deverá construir gráficos bonitos e informativos, com boa visualização e que possam ser compreendidos pelos clientes.

Em tempo, nesta lista reunimos alguns cursos pra você aprender Ciência de Dados sem sair de casa.

Inteligência Artificial

Para Willie Tejada, a inteligência artificial estará, basicamente, no coração de tudo que a gente fará. A ascensão da inteligência artificial nos negócios e nas aplicações que chegam no dia a dia dos consumidores só aumentará a demanda por profissionais nestas áreas. "São esses desenvolvedores que construirão a próxima geração de apps alimentados com IA", destaca Tejada.

Blockchain

A tecnologia que sustenta a criptomoeda mais famosa do mundo, o bitcoin, se tornou uma das tecnologias mais queridas do setor. Isso porque suas características de ledger distribuída (DLT) permite que os dados sejam armazenados globalmente em milhares de servidores - e que qualquer pessoa na rede possa ver as entradas de todos em tempo real. Isso dificulta que um usuário controle ou manipule a rede.

Posições em blockchain estão em alta, assim como o salário dos profissionais que sabem dominar a tecnologia. "Todos estão olhando para redes de confiança distribuídas ou outras formas para ter transações seguras”, diz Tejada. "Quase toda aplicação sofisticada terá esse tipo de exigência e Blockchain é uma tecnologia fundamental que está evoluindo e que pode facilitar isso”, completa.

Computação Quântica

O executivo aconselha desenvolvedores a olharem para uma tecnologia que está no horizonte, mas já promete revolucionar os negócios. "Eu vou usar o termo quantum ready", diz Tejada.

"Enquanto a computação quântica, de um ponto de vista comercial, ainda está longe de ser aplicada em escala, não temos mais aqui uma questão de 'se' e sim quando ela chegará. Então, é importante que os desenvolvedores estejam prontos", alerta. Segundo o executivo, a IBM tem também investido em educação básica para computação quântica.

Por fim, Tejada reforça que todo o movimento de novas tecnologias também recai e cobra dos CIOs que, segundo ele, estão transacionando de compradores para serem “construtores”.

“A disponibilidade da tecnologia através do open source, o acesso dos desenvolvedores às tecnologias tem permitido construir soluções do zero e os CIOs agora não são só perguntados sobre as plataformas que estão buscando comprar, mas se eles mesmo estão assumindo a responsabilidade sobre a inovação e é o exército de desenvolvedores que irá facilitar isso”, conclui.

Fonte: https://cio.com.br/estas-sao-as-5-tecnologias-que-todo-desenvolvedor-precisara-saber/