Transformação Digital e ESG: três passos para unir as iniciativas na sua empresa

Transformação Digital e ESG: três passos para unir as iniciativas na sua empresa

Por Marcelo Nakagawa, professor de Inovação e Empreendedorismo do Insper, alerta que empresas estão mirando o futuro enquanto olham pelo retrovisor

Os processos e oportunidades que envolvem transformação digital e ESG têm sido destaque no mundo corporativo. No entanto, as mudanças ocuparam os holofotes com tanta agilidade que ainda deixam dúvidas para gestores e organizações. Uma delas é como as duas pautas podem se complementar. De acordo com Marcelo Nakagawa, professor de Inovação e Empreendedorismo do “Programa Avançado em Transformação Digital: Gestão, Operações e Tecnologia”, do Insper, há uma grande sobreposição de oportunidades entre as duas iniciativas.

“Boa parte dos projetos de ESG têm características de inovação e estão ligados aos processos de transformação digital em algum nível. As iniciativas de monitoramento de emissões de carbono nas indústrias, por exemplo, demandam a instalação de sensores inteligentes e tecnologicamente avançados”, explica. Nakagawa destaca, contudo, que há uma carência de profissionais que consigam levar resultados para a organização por meio de soluções digitais que conversem entre as duas frentes.

Por isso, no caso das empresas que ainda não deram início ou estão começando as jornadas de transformação digital ou adoção de práticas ESG, o primeiro passo deve ser a capacitação da alta liderança para estes assuntos. “Há muito modismo, visões parciais e conhecimentos superficiais sobre o tema. Daí a necessidade de desenvolver uma visão ampla, profunda e integrada destes contextos, ao menos nos líderes de cada área”, afirma Nakagawa

O segundo passo para essas organizações seria elaborar uma estratégia visando um futuro que demonstre a integração de conhecimentos. O especialista alega que muitas organizações focam seus esforços em serem maiores ou melhores naquilo que atuam, sem priorizar a visão do todo. Isso seria olhar o futuro pelo retrovisor, já que os grandes negócios tendem a ser plataformas e ecossistemas digitais de negócio.

Já o terceiro e último passo citado pelo professor seria executar essa estratégia de forma que a empresa desenvolva processos ágeis, que tragam resultados de forma crescente e, especialmente, sustentáveis. “A transformação digital é uma oportunidade única das empresas atenderem o cliente com soluções conectadas, mais eficientes e mais baratas, além de permitir inovações mais sustentáveis”, conclui Nakagawa.

Share This Post

Post Comment