Brasil volta a figurar no ranking de países mais atacados por ransomware, aponta Trend Micro

Brasil volta a figurar no ranking de países mais atacados por ransomware, aponta Trend Micro

O relatório “Fast Facts” da Trend Micro, líder mundial em soluções de cibersegurança, revela que o Brasil retornou ao ranking dos cinco países que mais sofrem ataques ransomware. A análise do panorama mundial das ameaças cibernéticas mostra o país na quarta posição da lista, que continua sendo liderada pelos Estados Unidos (21,1%) e tem o Japão (7,6%) e Taiwan (6%) no segundo e terceiro lugares, respectivamente. A Turquia completa o Top 5.
Após dar um salto em março, quando foram registrados mais de 2,5 milhões de ataques ransomware, o número de ocorrências voltou à média de 1 milhão, em junho, ficando, inclusive, abaixo dos casos de fevereiro. As grandes empresas continuam tendo a preferência dos cibercriminosos, que só neste primeiro semestre de 2022 já realizaram cerca de 8 milhões e 32 mil ataques desse tipo em todo o mundo. Lembrando que, ano passado, foram identificados, ao todo, 14 milhões de ataques ransomware.

Extorsão e ‘Sextorsão’

Brasil também continua liderando o ranking de ameaças de extorsão por e-mail, incluindo os de cunho sexual, levando em consideração os endereços de IP únicos, seguido pelos Estados Unidos e Índia. Notavelmente, México e Alemanha entraram no top 10 do ranking, em junho. Entretanto, vale destacar a redução dos registros, em todos os países, em relação ao mês anterior.



Cibercrime

A tendência de alta no número de ataques cibernéticos, observada até março, começou a oscilar a partir de abril, quando teve ligeira queda, subindo um pouco em maio e caindo novamente em junho, quando foram detectadas um pouco mais de 11,4 bilhões de ameaças, sendo a grande maioria – 7,8 bilhões – via e-mail (68% das ameaças detectadas).

O top 5 de países mais atacados por e-mail não sofreu alteração em junho, com os Estados Unidos (29,9%) permanecendo como principal alvo, seguidos pela China (14,1%), Japão (7%), Alemanha (5,2%) e Rússia (4,7%).



Nestes seis primeiros meses do ano, a Trend Micro bloqueou, ao todo, 63,7 bilhões de ataques cibernéticos. Em 2021, o total foi de 94,2 bilhões de tentativas, o que já demonstra a tendência de crescimento. As famílias de malware com maior atividade em junho foram: Emotet, Webshell, Coinminer, Powload e Dloader.

No Brasil, o setor governamental continuou sendo o mais alvejado pelos criminosos digitais, em junho, seguido pelas áreas de Educação e Indústria. Os segmentos de Seguros e Saúde também ficaram na mira dos atacantes.

O relatório “Fast Facts” é divulgado pela equipe de pesquisa da Trend Micro com atualizações mensais sobre o cenário de ameaças, tendo como base a solução Trend Micro Smart Protection Network (SPN), que analisa a infraestrutura de segurança de dados. Os dados coletados também contêm análises de pesquisadores da Trend Micro, da equipe do Zero Day Initiative (ZDI), da equipe de Threat Hunting, da equipe de Serviço Móvel de Reputação de Aplicativos (MARS) e da Smart Home Network (SHN).

Para mais detalhes do relatório, acesse AQUI.

Share This Post

Post Comment