Consórcio de cooperativas financeiras e Banco do Brasil realizam transferência interbancária com Drex

Consórcio de cooperativas financeiras e Banco do Brasil realizam transferência interbancária com Drex

Parceria envolvendo cooperativas financeiras e BB para testes e troca de informações sobre blockchain já dura mais de seis anos

Em 17 de agosto, um dos maiores consórcios aprovados pelo Banco Central para participar dos testes do Drex – real digital, versão tonkenizada da moeda brasileira, atingiu um marco significativo. O consórcio SFCoop, que inclui as instituições financeiras cooperativas Sicoob, Sicredi, Cresol, Ailos e Unicred, realizou com sucesso a primeira transferência interbancária em parceria com o Banco do Brasil, marcando a primeira operação bem-sucedida entre os dois participantes do piloto.

O grupo ressalta que a parceria com o BB já dura mais de seis anos, durante os quais construíram uma relação sólida de troca de informações e a realização de testes relacionados à tecnologia blockchain entre as cooperativas e o banco. Desta vez, efetuaram uma transferência de tokens Drex entre suas respectivas reservas, movimentando recursos de ambas as carteiras.

"Ao realizarmos a transferência interbancária do Drex, fortalecemos ainda mais o papel das cooperativas financeiras no mercado financeiro, contribuindo, sobretudo, para a eficiência na oferta de produtos e serviços financeiro inovadores que impulsionam a economia digital”, afirma o grupo.


A presidenta do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, destaca que esses testes representam passos importantes na direção de um sistema financeiro mais eficiente e acessível. “O Drex é mais uma iniciativa bem-sucedida, em que teremos a possibilidade de melhorar serviços bancários com a adoção da tecnologia blockchain e a tokenização”.

Vale lembrar que o consórcio de cooperativas financeiras se destacou ao ser um dos pioneiros para alcançar sucesso na implementação de seu nó na rede do Drex, em julho, o que evidencia a força e a capacidade do cooperativismo em acompanhar as tendências e promover discussões sobre inovações na nova economia digital. Esses ‘nós’ identificam cada um dos participantes dentro de uma rede baseada em tecnologia blockchain.

Sob a coordenação do Banco Central, o projeto do Drex acontece em uma rede de testes, envolvendo simulações de emissão, transferência e resgate da moeda digital.

Share This Post

Post Comment