Venture Capital cai, mas investimentos em IA têm alta, diz KPMG

Venture Capital cai, mas investimentos em IA têm alta, diz KPMG

O investimento global de Venture Capital caiu pelo sexto trimestre consecutivo, de US$ 86,2 bilhões em 10.121 transações no primeiro trimestre de 2023, para US$ 77,4 bilhões em 7.783 transações no segundo trimestre de 2023, de acordo com o relatório Venture Pulse, da KPMG. As 10 principais transações em todo o mundo foram distribuídas entre oito países diferentes. No Brasil, esse tipo de investimento permaneceu fraco por ter sido um período de incertezas macroeconômicas e políticas. O conteúdo destacou ainda que, com grandes reformas fiscais no horizonte, muitos investidores de Venture Capital desistiram de fazer grandes investimentos enquanto aguardam mais clareza sobre as mudanças que serão implementadas e o impacto que terão nas empresas e startups. Mesmo com a desaceleração contínua nesse tipo de financiamento, ainda há um otimismo significativo nas perspectivas de longo prazo desse mercado.

“O Brasil continua sendo o principal centro de investimentos de venture capital na América Latina. Embora esse mercado esteja atravessando uma desaceleração no momento, o ecossistema está melhorando e o ambiente para captação de capitais no país também, o que deve gerar impactos positivos no longo prazo. No mundo, a Inteligência Artificial tornou-se rapidamente um segmento de grande interesse para investidores de Venture Capital. Parte disso se deve ao efeito multiplicador que as ofertas de IA têm para impulsionar a disrupção em todos os setores.”, diz Daniel Malandrin, sócio e líder do segmento de Venture Capital da KPMG no Brasil.

As fintechs continuam impulsionando investimentos de Venture Capital e representaram a maior parcela dos investimentos no Brasil. Empresas de soluções de produtividade empresarial e empresas focadas em energia também atraíram a atenção no segundo trimestre de 2023. A publicação da KPMG destacou ainda que as Américas fizeram a maior parte dos investimentos de Venture Capital, com US$ 42,9 bilhões, incluindo seis megaoperações de US$ 400 milhões durante o trimestre. Ainda assim, essa foi uma queda relevante considerando que a região fez transações que atingiram US$ 47,7 bilhões no trimestre anterior.

Os investimentos desse segmento na Ásia caíram pelo sexto trimestre consecutivo, atingindo somente US$ 20,1 bilhões. Na Europa, os investimentos caíram de US$ 14,4 bilhões em 2.676 transações, no primeiro trimestre de 2023, para US$ 13,5 bilhões em 1.861 transações no segundo trimestre de 2023. Apesar da queda, os investimentos em Inteligência Artificial permaneceram elevados devido ao interesse dos investidores em ferramentas de IA generativa.

De acordo com a publicação, taxas de juros, inflação, questões geopolíticas e preocupações contínuas com o sistema bancário global tornaram o período desafiador para esses investimentos em todas as regiões. Contudo, a inovação da tecnologia limpa e o financiamento em muitos países fomentam um interesse significativo no espaço energético, com investidores interessados também em soluções de energias renováveis como parques eólicos, aplicações de hidrogênio, energia atômica, infraestrutura de veículos elétricos, soluções de descarbonização, e finanças verdes.

“Para o terceiro trimestre de 2023 a previsão é termos um mercado de Venture Capital menos instável, com impactos de desafios geopolíticos, preocupações econômicas, e taxas de juros que ainda machucam diretamente na quantidade de transações, porém com certo cheiro de maior previsibilidade de melhoria”, afirma Jubran Coelho, sócio-lider da área de Private Enterprise e Business Consulting da KPMG no Brasil e na América do Sul.

Share This Post

Post Comment