Extensão pode ser instalada no Google Chrome e compara as informações com bancos de dados vazados

Milhares de pessoas ao redor do mundo utilizam as mesmas senhas para diferentes serviços on-line, além de sequências numéricas e de letras extremamente fáceis de serem quebradas por softwares de força bruta (que testam milhares de combinações). Mas este não é o único problema quando os assuntos são dados pessoais na internet. Com certa frequência, as redes sociais, os serviços de e-mail e outras plataformas sofrem com o vazamento de dados de usuários.

No começo deste ano, por exemplo, um banco de dados com incríveis 800 milhões de senhas e endereços de e-mail foi disponibilizado em um fórum hacker. De acordo com a Wired, a brecha foi notada pelo pesquisador de segurança Troy Hunt e continha mais de 12 mil arquivos, com 87 gigabytes de dados.

A boa notícia é que existem várias formas de checar se sua senha foi vazada em algum momento. Uma delas é utilizando um serviço do próprio Google.

Contudo, é necessário ter o Google Chrome -- navegador próprio do Google --  instalado em seu notebook HP ou de outra marca. Na sequência, basta instalar uma extensão chamada "Password Checkup (check-up de senha), para ter acesso a essas informações e ficar mais tranquilo com seus dados. O pré-requisito é ter pelo menos a versão 67 do software, disponível também para dispositivos com android. Basicamente, a extensão compara a senha digitada com bancos de dados já vazados.

Como usar?

A instalação é fácil. Basta entrar no Google Chrome e acessar a Chrome Store, digitando na barra de endereços: “chrome:extensions”, ou acessando essa opção no menu de configurações. Depois, é só procurar pelo nome da extensão e seguir as etapas exibidas na tela.

Pronto! A partir disso, quando você entrar com usuário e senha em um site e aqueles dados já estiverem em bancos de dados armazenados pela extensão, você será imediatamente avisado. A recomendação, caso algum dado for vazado, é trocar a senha o mais rápido possível.

Para que a senha seja forte, existem algumas dicas básicas:

- utilizar números;

- utilizar letras maiúsculas e minúsculas;

- utilizar símbolos;

- não utilizar muitas palavras compreensíveis e sequências de números ou letras.

Especialistas em segurança ainda indicam utilizar a verificação em duas etapas, que adiciona mais uma camada ao processo de login, como o pedido de um código enviado por SMS ou e-mail.