Por conta da minha área de atuação tenho lido muito sobre Transformação Digital, mas visto pouco reforço em um ponto importante. Muito mais do que tornar os processos mais eficientes e ágeis, esse novo momento tem forte relação com a evolução da cultura de pessoas e empresas. Acredito que, para que ela faça sentido e realmente aconteça, é preciso abandonar antigos pensamentos e padrões de comportamentos sem medo de ser feliz.

Veja alguns exemplos. Em um passado não muito distante, pessoa de destaque era aquela que detinha o conhecimento, enquanto hoje, tem valor aquele que sabe onde procurar a informação e o que fazer com ela em prol de alguma causa pessoal ou coletiva. Vez ou outra, vejo profissionais resistentes a desenvolver processos básicos em cloud computing ou irritados pelo excesso de controles de métricas. Isso é pura perda de tempo, pois boa parte do mundo já subiu para a nuvem e as empresas precisam se basear em dados para prosperar e se manterem competitivas.

Não tenho a intenção de gerar pânico com esse artigo, apenas fazer um alerta para que as pessoas se abram para as mudanças se quiserem manter a empregabilidade, independentemente da geração a que pertençam. Então, não crie raiz apenas no seu quadrado. Leia, estude, informe-se e desenvolva habilidades. Crie o hábito de entender de que forma suas ações podem agregar mais valor aos projetos que precisa desenvolver. Busque tempo para conhecer pessoas, sem preconceitos. Você nunca sabe a quem precisará recorrer em um momento estratégico da vida.

Antene-se aos movimentos que acontecem no mundo e ao seu redor. No ambiente profissional, por exemplo, tem sempre alguém precisando de ajuda e os empregadores estão muito atentos a profissionais com perfil multitarefa e proativos. Destacam-se também aqueles que demonstram facilidade para trabalhar em equipe e tem boa comunicação e perfil inovador.

Quem perde tempo negando ou resistindo às evoluções, desperdiça oportunidades preciosas de evoluir e logo fica para trás! #ficaadica

 

Braulio Lalau de Carvalho

CEO da Orbitall, empresa do Grupo Stefanini