Até o dia 18/10 estarão abertas as inscrições para a I Chamada Biblioteca Mais Plural - edição meninas, uma iniciativa do Instituto Aurora para Educação em Direitos Humanos que representa uma chance para INICIAR ou AMPLIAR um projeto educativo que seja voltado para o cantinho de leitura ou biblioteca de instituições ou organizações que trabalhem com meninas em situação de vulnerabilidade. Podem se inscrever centros de socioeducação femininos, casas de acolhimento e OSCs que atendem meninas.

Com a I Chamada Biblioteca Mais Plural – edição meninas, o Instituto Aurora quer que educadoras e educadores que já trabalham com meninas em situação de vulnerabilidade tenham mais recursos para disseminar o empoderamento feminino, o respeito às diferenças e o exercício da cidadania. Tudo isso, com o apoio da literatura.

Cinco instituições/organizações que atendem meninas, em território nacional, serão selecionadas e receberão:

  • 6 horas de formação online (síncrona) para educadoras/educadores nos dias 23, 24 e 25 de novembro, das 14hàs 16h (horário de Brasília). Serão abordados temas como: Educação em Direitos Humanos, Literatura e Empatia, e Práticas Restaurativas em ações educativas envolvendo literatura.
  • 10 roteiros para rodas de diálogo. Os roteiros estão compilados em um e-book exclusivo, que poderão servir de apoio às futuras atividades educativas.
  • 10 obras literárias contemporâneas que contribuem para a educação em direitos humanos de forma plural, dialógica e despolarizada.

Educação e Diálogo

No começo deste ano, a Unidade Socioeducativa Feminina do RS foi beneficiada pelo projeto, como relata a educadora Patrícia Dornelles. "A ação Biblioteca Mais Plural nos ajudou a resgatar a nossa biblioteca para que seja um espaço de educação e diálogo. Daremos início a rodas de conversa temáticas com as meninas a partir dos livros."

Obras Literárias

A curadoria do projeto Biblioteca Mais Plural selecionou 10 obras literárias contemporâneas e que representam visões de mundo plurais, a partir de escritores negros, escritoras mulheres, narrativas da Ásia, do Oriente Médio e outras. Pessoas que possuem realidades próximas ou diferentes daquelas das meninas atendidas e que por isso são capazes de expandir suas visões de mundo.

  1. Um Espinho de Marfim e Outras Histórias, de Marina Colasanti
  2. Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus
  3. O melhor que podíamos fazer, de Thi Bui
  4. No Seu Pescoço, de Chimamanda Ngozie Adichie
  5. Quem tem medo do feminismo negro?, de Djamila Ribeiro
  6. O filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe
  7. As boas mulheres da China, de Xinran
  8. Eu sou Malala, de Malala Yousafzai e Christina Lamb
  9. Na minha pele, de Lázaro Ramos
  10. 10.Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur