Vivaldo José Breternitz

China e Estados Unidos são os países onde foram vendidos mais smartphones 5G. Mas em termos de taxa de adoção, ou seja, a proporção dos dispositivos 5G em relação ao número total de telefones vendidos, a liderança é da Europa ocidental.

Isso foi revelado por pesquisa desenvolvida pela Strategy Analytics, que concluiu que a maior taxa de adesão da região é a da Suíça, onde três em cada cinco smartphones a serem vendidos em 2020 serão 5G. Em seguida, estão a Alemanha e Reino Unido com 32%; fechando o grupo, a França, com 4%.

Segundo analistas, a situação mudará em 2021, quando Alemanha e Reino Unido ficarão em primeiro lugar; mais de três em cada quatro smartphones vendidos serão 5G. Isso pode ser explicado pela velocidade com que a implantação da tecnologia vem ocorrendo nesses países.

Quanto aos fornecedores de aparelhos, Samsung e Apple estão levando a parte do leão, mas a competição agressiva da Vivo, Oppo, Xiaomi e outros fornecedores chineses deve alterar o mercado em 2021.

É oportuno lembrar que a grande imprensa americana recomenda aos consumidores daquele país que não se apressem em adquirir telefones 5G, pois a efetiva implantação da tecnologia nos Estados Unidos não deve ocorrer tão cedo e o uso desses telefones agora não traz vantagens aos usuários. Como os 5G são mais caros, a imprensa tem sistematicamente dito algo como "comprar 5G agora é jogar dinheiro fora".

Aqui no Brasil isso é mais verdadeiro. A efetiva entrada em operação da tecnologia em nosso país deve demorar bastante, e um 5G comprado agora, além de não trazer qualquer vantagem ao usuário, provavelmente estará obsoleto quando a tecnologia se firmar entre nós.

Vivaldo José Breternitz é Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.