Como a internet das coisas pode ajudar no varejo?

Como a internet das coisas pode ajudar no varejo?

Por Fernando Moulin, partner da Sponsorb

A secular ciência do varejo nada mais é do que o processo de atuar na intermediação entre a compra de muitas unidades de um produto específico diretamente dos produtores (indústrias), e a venda de poucas unidades de muitos produtos diferentes aos consumidores finais. Ao longo dos últimos anos e após a forte aceleração provocada pela pandemia de COVID-19, o varejo foi radicalmente transformado pela internet, e passou a ser cada vez mais presente e direcionado pelas características dos ambientes online. A chegada do 5G, agora em 2022, traz ainda mais expectativas. Como o advento dessa nova tecnologia poderá potencializar ainda mais o varejo?

Quando se fala em conexão, não tem como não remeter a IoT (internet of things ou internet das coisas). Ela é uma rede de objetos físicos conectados a sensores e sistemas de tecnologia da informação, que pode interagir e trocar dados com outros dispositivos, todos conectados por meio da internet. Ainda que esses dispositivos funcionem perfeitamente com as atuais redes disponíveis, espera-se que no futuro a evolução da tecnologia para o 5G proporcione a expansão e consolidação massiva da IoT, criando um novo mundo em que todos os objetos que tiverem motivos para estar conectados, serão conectados.

Mas qual é a importância dessa transformação para o futuro do varejo? O setor está sempre buscando oferecer experiências para o consumidor seja de forma física, seja digital, criando engajamento a partir de interações com os produtos e serviços comercializados.

Ora, em tempos digitais e de processos “figital” (híbrido de físico com digital), é cada vez mais necessária muita automação e eficiência para conseguir resultados superiores junto aos clientes. E a IoT, neste contexto, é imbatível e pode trazer muitas vantagens aos varejistas como uma nova ferramenta inovadora, apoiando com soluções que trarão melhor eficácia e produtividade, como: processos mais eficientes de controle da cadeia de produção; controle de estoques integrado e com dados disponíveis em tempo real; identificação individualizada do consumidor em lojas físicas; redução de custos; otimização dos processos logísticos; dados históricos de compras e dos produtos; soluções de engajamento que fomentem maiores vínculos com as marcas; redução de custos e melhores níveis de satisfação da experiência do cliente.

O advento da IoT de forma ainda mais massiva e potencializada pelas características das redes 5G (alta velocidade de download e upload, baixíssima latência, menor consumo de energia, maior densidade de dispositivos conectados por área, etc.) possibilitará inovações capazes de fazer com que a experiência do consumidor no varejo seja repleta de soluções altamente engajadoras e relevantes. Por exemplo, quando o consumidor for comprar um café especial, ele poderá acompanhar todo o processo, desde a produção em um micro lote de uma região específica, passando pela colheita, informações do produtor, da safra, do tipo de grão, torra, enfim - terá toda a história e encantamento técnico e funcional de seu cafezinho favorito na palma da mão, para contar as histórias que quiser enquanto realizar sua degustação ou compra.

Nessa busca pela diferenciação contínua e pelas melhores experiências, os varejistas do futuro serão aqueles capazes de alinhar um profundo conhecimento individual de cada cliente com as virtudes da conveniência oferecida por suas organizações, numa equação de custo-benefício cada vez mais intangível e direcionada pela satisfação do consumidor. E a IoT poderá desempenhar um profundo papel de diferenciação e inovação para esses líderes do varejo do amanhã.

Share This Post

Post Comment