Três dicas da CertiSign para identificar um site seguro na hora das compras ou transações bancárias 

Três dicas da CertiSign para identificar um site seguro na hora das compras ou transações bancárias 

Diante de consumidores mais conectados e conscientes em relação aos seus dados pessoais, o Brasil está construindo suas barreiras de segurança cibernética. Um estudo feito pelo Insper e divulgado em setembro revelou que 42% das empresas nacionais de capital aberto não possuem um plano de resposta a incidentes de cibersegurança. No cenário geral, entretanto, segundo um levantamento feito pelo MIT Technology Review em novembro de 2022, o país ocupa o 18º lugar entre os 20 países mais bem preparados do mundo para responder a esse tipo de ameaça.

Segundo Márcio D'Avila, especialista em segurança digital da CertiSign, esse cenário favorece cibercriminosos que miram principalmente consumidores comuns que fazem compras online ou transações bancárias. Isso é uma preocupação, já que a conveniência de comprar e lidar com finanças pelo celular continuará crescendo nos próximos anos.

Acredita-se que o comércio on-line no Brasil alcance um faturamento de R$273 bilhões até 2027. Em 2022, o faturamento foi de R$169,59 bilhões, o que significa um aumento de cerca de 60% em cinco anos, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm).

Em 2022, oito em cada dez transações bancárias foram feitas online, de acordo com um estudo da Deloitte em parceria com a Febraban. Isso tornou os golpes mais evidentes, e as instituições financeiras estão agindo para ampliar a proteção e segurança dos seus consumidores. Em outubro, o Nubank comprou várias URLs com nomes parecidos com o seu para evitar que os clientes sejam vítimas de fraudadores.

Diante desse cenário, o especialista da CertiSign separou três dicas para ajudar os consumidores a identificarem um site seguro – tanto para compras quanto para transações financeiras.

1 – Esteja atento ao certificado de SSL 

Uma das formas de garantir a segurança e identificar se um site é seguro, segundo D’Avila, é estar atento aos certificados de Secure Sockets Layer (SSL). O especialista explica que a ferramenta é responsável por garantir a navegação segura e redirecionamento de acesso aos portais on-line, garantindo que a comunicação entre o usuário e a plataforma não poderá ser interceptada ou modificada. Mas, como reconhecer se um portal tem SSL ou não?

O executivo da CertiSign explica que o primeiro passo é observar se a barra de endereço do navegador tem o símbolo de um cadeado. Outro ponto é checar se o site começa com "https" ao invés de “http" no início do link. “Esses fatores apontam a origem dessas plataformas, dando maior segurança para quem está acessando”, diz.

2 – Informações de contato, erros de português e conteúdos defasados 

Outro ponto destacado por D’Avila na identificação de um site seguro é ficar atento aos pontos de contato disponíveis. Isso inclui e-mails não corporativos ou, ainda, e-mails que parecem corporativos, mas que não seguem determinados padrões – com o nome da marca no plural quando, na verdade, deveria estar no singular, por exemplo. Tais fatores, na visão dele, são grandes indicativos de que o site não é original.

Além disso, é recomendado dar uma olhada no conteúdo do próprio site. Checar se todas as páginas estão funcionando, se todas as informações estão disponíveis e, principalmente, qual é o conteúdo que está sendo oferecido. “É importante avaliar se as palavras e os textos fazem sentido. Se há formalidade ou padrão nessas informações. Caso encontre algo estranho, é provável que seja um site duvidoso”, afirma.

3 – Layout precisa estar atualizado 

A verificação do padrão é importante não só nos textos, mas no layout do site. Segundo D’Avila, é importante ter atenção às cores e aos logotipos das marcas, além de concluir se o site é funcional ou se está de alguma forma muito desatualizado. “Um ponto importante é dar uma olhada nas redes sociais das marcas, checando esses aspectos estéticos e, até mesmo, o modo de falar e responder da empresa. Isso ajuda a entender se o site está em conformidade.”

Ele explica que, por mais habilidoso que um cibercriminoso possa ser, sempre passam detalhes que podem ajudar o consumidor a medir a segurança do site. Por isso, na visão dele, é importante que todos se mantenham atentos e sigam o passo a passo antes de efetuar uma compra ou realizar uma transação bancária.

Share This Post

Post Comment