A forma como colaboramos, nos comunicamos e compartilhamos informações mudou, não podemos negar. Mais do que isso, dividir informações tornou-se mandatório para instituições que querem crescer. O compartilhamento deve ir além das redes sociais e do ambiente pessoal. Essa é a palavra do momento no mundo corporativo e está inserida dentro de um contexto marcado por constante transformação e que as pessoas conectam-se e trabalham a partir de lugares diferentes.  Claro que, isso só é possível porque estamos em plena era do tudo como serviço (XaaS).

A Harvard Business Review fez uma pesquisa com líderes comerciais em todo o mundo sobre como a colaboração está mudando em suas empresas.  72% dos entrevistados disseram que a "comunicação de equipe eficaz" tornou-se mais importante nos últimos anos. 54% dos líderes de negócios reportaram que estão investindo em soluções de colaboração de fácil utilização e 64% dos entrevistados relataram que a colaboração com terceiros ganhou ainda mais importância.

 No entanto, não foi só a forma como colaboramos que mudou. A infraestrutura e as tecnologias que usamos para executar  nossas tarefas e nos comunicar também não são mais as mesmas. O trabalho evoluiu e estar no escritório, no carro, no aeroporto ou em qualquer outro lugar hoje em dia não impacta mais nos resultados da produtividade dos colaboradores. As equipes estão espalhadas antes era preciso ligar e esperar que a pessoa estivesse do outro lado, estático em sua mesa, ao lado do seu telefone fixo, para resolver um problema em seu negócio, responder a um cliente. Em seguida, surge a mobilidade e o cenário já começou a mudar um pouco. Passamos das rápidas mensagens de textos para o uso de ferramenta do dia a dia, como o whatsapp, aplicadas para os fins corporativos, com o objetivo de suprir essa carência de agilidade e flexibilidade.  Mas, esses recursos não têm a devida segurança e rigidez que são exigidas nas comunicações empresariais, especialmente quando estamos falando de projetos confidenciais, resultados financeiros e outros temas estratégicos. Mas, é sim possível e totalmente plausível re-imaginar a experiência, tornando a comunicação única, sem importar o dispositivo (sala de reunião, mobile ou desktop), especialmente.

 A computação em nuvem veio para ficar e permite hoje não só qualidade e flexibilidade nas comunicações como reduções de custos substanciais. Segundo pesquisa da Cisco, 95% das empresas já utilizam algum tipo de serviço na nuvem e até 2020, 92% de todo o trabalho realizado pelas empresas será processado na nuvem.  E os sistemas de comunicação em nuvem neste sentido permitem que, através de um login e senha, conteúdos sejam compartilhados, mensagens sejam enviadas, como se todos estivessem juntos participando de um grande grupo de trabalho.  A criação de experiências imersivas, a incorporação da realidade aumentada e da realidade virtual, que segundo o Gartner são tendências-chave na corrida para o digital, já fazem parte deste cenário.  Tudo isso com a capacidade de se ter o controle do que está sendo enviado, trazendo a segurança e a formalidade que esse tipo de comunicação exige.

Fora a agilidade, a qualidade e a segurança, não podemos esquecer da redução de custos. A comunicação em nuvem no modelo XaaS, reduz custos em até 30% e também elimina a necessidade de manter uma equipe dedicada para gerir esse serviço. Sem falar que, em tempos em que o metro quadrado em grandes cidades está cada vez mais caro,  o Pabx virtual libera espaço físico e permite que todos trabalhem e colaborem  independente do lugar em que estejam, a partir de qualquer dispositivo, sempre com o mesmo número, como se estivessem em sua mesa de trabalho. Afinal, nesse mundo de transformação digital, engajar o seu público a compartilhar informações e emoções tornou-se essencial.

 

Silnei Kravaski

Diretor Executivo da Planus Cloud, Networking & Services, empresa responsável pelo desenvolvimento do Cloud Call, uma plataforma de comunicações em nuvem corporativa