Líderes de negócios no Brasil destacam a necessidade de uma abordagem de nuvem híbrida para desbloquear o poder da IA generativa

Líderes de negócios no Brasil destacam a necessidade de uma abordagem de nuvem híbrida para desbloquear o poder da IA generativa

Em 2023, as organizações do Brasil enfrentaram um nível de pressão sem precedentes para se transformar digitalmente com a ascensão da inteligência artificial (IA) generativa, bem como imperativos como sustentabilidade, produtividade do trabalho e segurança. O "Cloud Transformation Report", uma nova pesquisa global do IBM Institute for Business Value (IBV), descobriu que muitas empresas líderes compartilham uma base comum para a transformação digital – uma estratégia de nuvem híbrida clara*. Essas empresas citam vários benefícios importantes do uso de uma abordagem de nuvem híbrida para alimentar a transformação dos negócios, incluindo modernização, agilidade, segurança, sustentabilidade e capacidade de desbloquear o poder da IA generativa.

Abaixo, uma visão dos principais motivadores que impactaram a transformação da nuvem no ano passado e o que eles significam para as empresas em sua jornada de modernização:

Considerações sobre a adoção da IA generativa

Este ano, a IA generativa prendeu a atenção dos líderes de negócios, mas também levantou questões como “qual é a base certa para acelerar e escalar o impacto?”. Para muitas organizações, a resposta é uma abordagem de nuvem híbrida. O novo estudo descobriu que 50% dos adotantes de nuvem híbrida no Brasil já estabeleceram políticas formais em toda a organização para direcionar a abordagem para a IA generativa.

Com o surgimento da IA generativa, há um fluxo maior de dados. Embora possa gerar grandes inovações de negócios, isso também requer considerações estratégicas. Ao executar uma estratégia de IA, as empresas precisam considerar sua capacidade de cálculo atual, onde os dados residem – na nuvem, infraestrutura local, em edge – como os dados são acessados, os controles de segurança necessários e como usar os investimentos de tecnologia existentes de forma eficaz. Além de ajudar a oferecer confiabilidade e desempenho aprimorados, uma abordagem de nuvem híbrida pode permitir maior agilidade na capacidade de conectar ambientes em nuvem e infraestrutura local, removendo barreiras para fluxos de trabalho de IA flexíveis.

Abordando questões de segurança e conformidade

Quando se trata de IA generativa, as empresas também estão preocupadas com a possível exposição de dados sensíveis. 49% dos líderes de nuvem no Brasil citaram preocupações com a segurança cibernética ou com a privacidade e confidencialidade de dados e informações como o principal obstáculo em seu esforço para implementar IA generativa. Em um nível global, as descobertas também indicam que os setores altamente regulamentados estão ponderando cada vez mais os riscos, como a segurança, ao considerar a tecnologia. Essas organizações são menos propensas a ter uma abordagem formal para a IA do que alguns outros setores, mas estão mostrando progresso. Ao todo, 57% dos bancos e organizações do mercado financeiro, 54% das seguradoras e 54% das instituições de ciências biológicas/farmacêuticas adotaram uma abordagem formal para a tecnologia até agora.

Para setores altamente regulamentados que têm a tarefa de proteger dados críticos, há muita coisa em jogo. Para evitar pontos cegos, uma estratégia de segurança holística que forneça visibilidade em toda infraestrutura em nuvem híbrida é vital para minimizar o risco.

Superando desafios de habilidades

O relatório também mostra obstáculos persistentes para uma adoção de nuvem mais difundida – talvez nenhum tão grande quanto à crescente falta de habilidades. 52% dos tomadores de decisão dizem que as habilidades em nuvem continuam sendo um desafio considerável abaixo da média global (58%), e 64% das organizações criaram novas posições para atender à necessidade de habilidades em nuvem, abaixo da média global (72%). Globalmente, em setores individuais, essa deficiência é ainda maior: 79% em setores altamente regulados, como bancos e mercados financeiros, bem como 81% em transporte e viagens e 79% em produtos químicos e petróleo.


Colocando as iniciativas de sustentabilidade em destaque

Recentemente, a sustentabilidade tem sido vinculada a metas de negócios mais amplas e se tornou uma prioridade maior para investimentos em tecnologia para organizações de todos os setores. No entanto, à medida que a IA generativa cresce, o aumento no processamento de dados necessário para as cargas de trabalho de IA também aumenta – o que pode apresentar novos desafios para as organizações que estão buscando reduzir a emissão de gases de efeito estufa.

Com as ferramentas certas, a nuvem pode ajudar as empresas a rastrear, gerenciar e relatar metas de sustentabilidade — inclusive para parceiros e terceiros. Na verdade, nossas descobertas determinaram que 33% dos tomadores de decisão locais confirmam que já estão usando a nuvem para ajudá-los a implementar, controlar e gerenciar metas internas de sustentabilidade.


Olhando para o futuro

Com mais empresas embarcando em jornadas de IA, será fundamental que essas organizações assegurem ter a infraestrutura e o talento certos para apoiar essas iniciativas. As organizações que mudarem para uma estrutura de dados ágil e segura com uma arquitetura de nuvem híbrida, provavelmente, serão as vencedoras de amanhã – equipadas com uma base forte para competir no cenário de IA do futuro.

Confira aqui as descobertas completas do IBM Institute for Business Value.

*O IBM Institute for Business Value, em parceria com a Harris Poll, realizou uma pesquisa on-line coletando dados de 3.000 tomadores de decisão de TI e de negócios em 12 países e em 23 setores.

Share This Post

Post Comment