Os algoritmos de Inteligência Artificial (IA) têm evoluído muito e rapidamente. Hoje, qualquer pessoa que usa internet e aplicativos simples no celular já têm mais contato com IA do que imagina. E mesmo quem não vive online já pode estar convivendo com robôs inteligentes sem nem saber. “Inteligência Artificial é quando o computador consegue aprender com experiências anteriores de modo que consiga responder ou fazer previsões de maneira assertiva e que pareça ‘natural’ para a mente humana”, explica Marcos Paulo Barreto, Arquiteto de Software da Stone Age, empresa que atua há mais de 30 anos no desenvolvimento de soluções de negócios com Big Data. O especialista lista sete momentos do cotidiano que envolvem IA.

 

Apps de rotas

Aplicativos como Waze e Google Maps cruzam informações de milhões de fontes para calcular as melhores rotas e o tempo do percurso. Traçar uma média de tempo levando em consideração apenas os acontecimentos dos últimos dias pode gerar resultados imprecisos, já que essas informações variam muito rapidamente. “Esses softwares precisam considerar se está chovendo, se é véspera de feriado, se é época de férias escolares, etc. Eles usam IA para avaliar todas essas possibilidades e pesar o impacto no trânsito”, explica.

 

E-commerce

As grandes varejistas online trabalham com duas variáveis principais no que se refere às entregas: prazo e custo. As entregas mais rápidas tendem a ser mais caras. Para alcançar um prazo bom para o consumidor e com custo razoável, as empresas aplicam IA nas previsões de vendas para otimizar a logística de envio de mercadorias a grandes centros: despachando menos caminhões com mais carregamentos. “No universo das grandes lojas virtuais, uma pequena redução de custo no frete pode significar uma grande economia, além manter o compromisso da entrega no prazo, algo também vital para o e-commerce”, afirma Marcos Paulo Barreto.

 

Buscas na internet

Quando duas pessoas pesquisam o mesmo termo no Google em seus computadores ou celulares, as respostas serão diferentes. Porque além de parâmetros como relevância dos sites e seu conteúdo, número de acessos, etc., os buscadores também avaliam o comportamento de quem está pesquisando para oferecer as respostas que mais “combinam” com você. “Suas pesquisas anteriores, os sites que acessou, seu perfil, as publicações que curtiu, compartilhou e comentou.

 

 

iRobot

Mesmo quem não vive conectado pode estar em contato com IA. Até mesmo aqueles robozinhos que fazem a limpeza de ambientes - e já chegaram com tudo ao Brasil - usam inteligência artificial para melhorar sua performance. “Esses robôs ‘estudam’ o ambiente nas primeiras faxinas calculando qual o melhor trajeto, considerando móveis e objetos, quanta poeira aspirou e qual o intervalo ideal entre uma limpeza e outra. Tudo isso para manter o ambiente sempre limpo gastando o mínimo de bateria possível”, explica Marcos Paulo Barreto.

 

Gamers

Com jogos de videogames cada vez mais abertos – cheios de possibilidades de objetivos e estratégias, diferente dos jogos antigos que seguiam um script fechado -, os robôs que atuam como adversários de humanos estão usando IA para aprender a jogar. Se o robô é atacado no jogo, por exemplo, ele precisa formular uma estratégia de defesa e replanejar suas ações para continuar em busca de seus objetivos. “No ano passado, uma equipe de cinco robôs ganhou, pela primeira vez, uma equipe de cinco humanos no jogo DotA 2, o que foi considerado um grande feito para a IA”, diz.

 

Finanças

No mercado financeiro, a constante busca por maiores rendimentos com a menor volatilidade possível era o cenário ideal para a atuação de software com IA. De dois anos para cá, diversas startups da área financeira começaram a disponibilizar robôs que avaliam as opções de investimento disponíveis e o perfil do investidor, inclusive o risco máximo que está disposto a correr. A partir daí, o sistema aloca os recursos e acompanha a performance de cada carteira para fazer ajustes quando necessário. “Nenhum humano consegue acompanhar todas as opções de investimentos disponíveis hoje, suas respectivas taxas e rendimentos, mas um robô inteligente pode absorver tudo isso com facilidade e aprender todo dia sobre as aplicações mais conservadoras ou arrojadas do mercado”, afirma.

 

Câmeras de segurança

Até mesmo andando na rua você pode estar sendo vigiado por máquinas com IA. Câmeras de segurança que, além de gravar imagens, também interpretam cenas fora do padrão já são realidade. Se a câmera captar uma pessoa pulando um muro, por exemplo, o sistema vai considerar a cena suspeita e soará um alarme. “Um segurança humano não consegue vigiar diversas câmeras ao mesmo tempo durante um longo período. É muito mais seguro deixar um software inteligente ‘de olho’ em tudo”, explica Marcos Paulo Barreto, da Stone Age.