Já ouviu falar em carbono zero? Entenda sobre essa política

Já ouviu falar em carbono zero? Entenda sobre essa política

Por Roberto Gonçalves, CEO na eBox Digital S.A.

Roberto Gonçalves

Por meio de dados da Climate Watch, foi feita uma comparação da realidade atual sobre as emissões de gases per capita de diversos países que provocam efeito estufa. Ficou constatado que, Estados Unidos, China, Índia e União Europeia estão entre os países que mais emitem GEE (Gases de Efeito Estufa) e poluem o mundo. A Rússia e os EUA são os que mais realizaram emissões de dióxido de carbono per capita por pessoas, chegando a 17,6 toneladas e 13,3 toneladas, respectivamente.

O Acordo de Paris é um tratado feito, em 2015, entre 195 países. Os mesmos, inclusive o Brasil, se comprometeram a aplicar o projeto de “carbono zero”, para reduzir as emissões de gases poluentes. As empresas têm um papel significativo para que o planeta chegue a 1,5º até 2050.

Neste post, você vai descobrir como contribuir com a política de carbono zero, para que o Brasil cumpra o seu papel nessa proposta. Acompanhe!

O que é carbono zero?

"Carbono zero" refere-se à ideia de equilibrar as emissões de carbono produzidas por uma atividade, empresa, produto ou indivíduo no mundo, de modo que a quantidade líquida de emissões liberadas na atmosfera seja zero. 

O carbono zero é uma meta ambiental que visa reduzir ou compensar completamente essas emissões, associadas a determinadas atividades humanas. Entre os gases que provocam o efeito estufa está o dióxido de carbono (CO2), que ocupa o primeiro lugar e, em segundo, o gás metano (CH4). Além desses, existem outros, como:

  • óxido nitroso (N2O);
  • ozônio (O3);
  • etano (C2H6);
  • clorofluorcarboneto (CFCs);
  • vapor d’água.

Vale salientar que, o Brasil, por intermédio de estratégias criadas pelo Fórum Brasileiro de Mudanças do Clima, se comprometeu a neutralizar 100% das emissões dos gases de efeito estufa até o ano de 2050. À vista disso, as empresas podem cumprir a sua parte ao reduzir a emissão desses gases nocivos por substituições em suas atividades de rotina, por exemplo, a eliminação de papel, ao ser uma corporação totalmente digital.

O que a empresa pode adquirir ao investir em carbono zero?

Investir em tornar a sua empresa carbono zero pode trazer uma série de benefícios, tanto para o meio ambiente quanto para a própria organização. Adotar práticas de carbono zero não apenas contribui para um planeta mais saudável, mas também pode ser estratégico para o sucesso das empresas a longo prazo.

Aumenta a credibilidade

Conquistar espaço no mercado é um dos objetivos das empresas que procuram estratégias inovadoras para se destacar entre os seus concorrentes. Instituições que adotam práticas de negócios sustentáveis muitas vezes são vistas como inovadoras. Essas iniciativas agregam valor à marca, melhoram a eficiência operacional e aumentam a competitividade e credibilidade.

Bem-estar da cidade

As empresas que contribuem com práticas de carbono zero podem promover o bem-estar da cidade de várias maneiras. Conheça o que pode ser conquistado para a população:

  • melhora na qualidade do ar;
  • redução de impactos sonoros;
  • elevação de estilo de vida saudável;
  • menor índice de doenças.

Contribuição ao meio ambiente

Ao adotar medidas que ajudem a reduzir o índice de gases de efeito estufa, as empresas colaboram, por vezes, de forma extensiva com a redução dos impactos ao meio ambiente

A contribuição em busca do carbono zero pode melhorar as condições dos rios, ao fazer coleta seletiva do lixo e evitar queima dos mesmos; a redução do desmate das florestas em busca de celulose para a confecção de papel e outros fins, investimento em energia renovável para reduzir um uso das águas fluviais etc.

O que é necessário para ser uma empresa carbono zero?

Tornar-se uma empresa carbono zero envolve a implementação de práticas e políticas que visam reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) associadas às operações da empresa. Para realizar as ações que levem a redução de componentes que degradam a camada de ozônio é importante fazer um bom planejamento e ter atitudes incisivas e pontuais para realizar esse projeto. O uso das tecnologias são muito indicados para ajudar nessa jornada. Sobretudo a TI verde.

Escolha um fornecedor com o mesmo objetivo

Para ser uma empresa de carbono zero, é crucial escolher fornecedores alinhados com práticas sustentáveis ​​e metas de neutralidade de carbono. Parcerias com fornecedores que apoiam o mesmo compromisso ambiental são significativamente importantes para a redução da pegada de carbono em toda a cadeia de suprimentos.

Por meio de diálogo com os fornecedores é possível realizar ações, em que juntos, conquistem um grande avanço no que se refere a redução de uso de matérias que eliminam gases de efeito estufa.

Assim como os países se unem para realizar a redução dos gases poluentes, as empresas também devem somar, uma com as outras, para terem o mesmo objetivo, com o intuito de que as práticas realmente se concretizem.

Rastreie as emissões de GEEs

A emissão dos gases poluentes podem estar em vários lugares e acontecerem por meio de diversas atividades que, por vezes, são imperceptíveis quando não olhadas com maior atenção. Sendo assim, ao aderir à proposta de ajudar o mundo, sobretudo o Brasil a ser carbono zero, é fundamental que a empresa tenha uma visão abrangente de onde acontecem as emissões dos GEE, por meio dos seus processos de produção até o ponto final da cadeia, que é o consumidor.

Descentralize as informações

Como vimos, a missão de reduzir o índice de GEE no planeta é missão de todos, ou seja, de empresas e pessoas, independente de estar comprometida com essa causa. As informações sobre a urgência de ações que reduzam ou que rezem a emissão de gases nocivos ao planeta devem chegar a todas as pessoas. Nas empresas, é importante que alcance a todos os colaboradores e gestores. Diante das informações, cada um age de maneira que contribua com todo o processo.

Como propósito em conquistar o carbono zero em contextos mundiais, foram criados programas, como Protocolo de Kyoto e o Acordo de Paris, para que cada país tomasse suas iniciativas. Assim como cada membro mundial, a sua empresa pode fazer a sua parte ao se tornar uma instituição com perfil ESG. Além de colaborar com a redução dos GEE, ela pode ser muito mais reconhecida no mercado.

Publicado originalmente em eBox Digital.

Share This Post

Post Comment