O segmento de TI (Tecnologia da Informação) e SI (Segurança da Informação) tem experimentado um crescimento extremamente acelerado nos últimos anos. Segundo a IDC, em 2018, o crescimento dos dois setores deve girar em torno de 2,5%, enquanto o Garner prevê um aumento de 2,9%, com gastos de R$ 236,1 bilhões.

Para acompanhar as mudanças de um setor em constante evolução, é necessário que as empresas façam muito mais do que apenas investir dinheiro nestes departamentos. É preciso que independentemente de seu porte ou área de atuação, elas conheçam cada uma das tendências indicadas para os dois departamentos e se preparem para incluir as modificações em seu dia a dia.

Sócio da Strong Security Brasil (www.strongsecuritybrasil.com.br), Dario Caraponale indica quais são essas que os empresários precisam ficar de olho para iniciar 2019 prontos a enfrentarem os desafios tecnológicos:

Criptografia de arquivos

A criptografia de arquivos está entre uma das principais tendências em TI e SI que as empresas precisam não apenas ficar atentas, como aplicar em seu dia a dia. "Com o compartilhamento cada vez maior de arquivos, é necessário redobrar os cuidados para que a informação não seja interceptada indevidamente. E a criptografia é um excelente canal para proteger dados valiosos", explica Caraponale.

O executivo aponta como complemento desta tecnologia o Blockchain. Além de criptografar as informações trocadas e recebidas, o sistema registra toda a movimentação de dados, prevenindo invasões de sistema.

Ferramentas em CASB

Em relatório recente, a Cisco, uma das mais conceituadas empresas de tecnologia do mundo, indica que até o ano de 2021 o tráfego global de dados em nuvem aumentará 3,3 vezes. Até 95% de todas as informações trocadas pelas empresas estarão nesse ambiente.

Com o crescimento cada vez maior do uso da Cloud Computing no ambiente corporativo, as empresas precisam investir em tecnologias que as protejam de intercepções nesse ambiente até então considerado impenetrável.
Por isso, uma das tendências em TI e SI para 2019 são as ferramentas desenvolvidas com tecnologia CASB.

Segundo o executivo da Strong Security Brasil, aderir a essa tendência é fundamental para todas as empresas, sobretudo àquelas em que há um grande volume de troca de informações e armazenamento em nuvem.

"Com o CASB é possível controlar o que pode ser acessado e por quem, requerer uma autenticação para abrir um determinado arquivo e aplicar outros mecanismos para proteger dados importantes para a empresa armazenados em nuvem", explica.

Softwares com DLP

Sua principal função, além de evitar roubos, é também evitar fraudes ou erros operacionais. Isso quer dizer que funcionários internos que possuam acesso à informação e enviam esses dados para pessoas internas ou externas - seja sem querer ou propositalmente, serão identificados.

Lei Geral de Proteção de Dados

Sancionada pelo Congresso Nacional em agosto de 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) chega não apenas como uma tendência para 2019, mas principalmente como um fator que deve revolucionar a forma como as empresas se relacionarão com seus clientes.

Segundo o sócio da Strong Security Brasil, as empresas precisarão investir cada vez mais em softwares de segurança, pois terão ainda mais responsabilidade sobre os dados pessoais e profissionais que recolhem e armazenam de seus clientes.

"Com a Lei geral em vigor, é preciso redobrar os cuidados para que não haja vazamento de dados, do contrário serão as empresas que arcarão com o prejuízo de expor, indevidamente, consumidores afetados por invasões em seus sistemas", conclui Dario Caraponale.

Saiba mais sobre a Strong Security Brasil

A Strong Security Brasil é uma empresa especializada em soluções pensadas para os setores de Tecnologia e Segurança da Informação. Oferece a seus clientes produtos, serviços, consultorias e treinamentos. Mais informações em: www.strongsecuritybrasil.com.br.



Website: http://www.strongsecuritybrasil.com.br

Fonte: DINO, Divulgador de Notícias