Desde suas primeiras apresentações em feiras internacionais, a impressão digital vem crescendo exponencialmente em participação no mercado gráfico do Brasil. Atualmente, a tecnologia (que, diferentemente as offsets convencionais, eliminam as chapas do processo de impressão, produzindo diretamente a partir de um arquivo digital) tornou-se uma realidade entre gráficas de diferentes portes como forma de atender demandas que os equipamentos convencionais não conseguem - por questão de custos ou de viabilidade tecnológica, como, por exemplo, a personalização de impressos.

Além disso, a expansão da tecnologia digital no mercado teve, como elemento impulsionador, a diversidade de sistemas de impressão. Desde a tradicional tecnologia de toner, até os sistemas jato de tinta, são diversos os modelos disponíveis para as mais diferentes aplicações - desde promocional, até editorial, comercial e de embalagens - e diversos volumes (das altas tiragens, até impressão sob demanda).

Crescimento, apesar da crise

Apesar de não ficar indiferente à recessão de 2018, o segmento de impressão digital permanece em curva ascendente, com crescimento de percentual de vendas das empresas fabricantes desse tipo de tecnologia que atuam diretamente no Brasil.

Em fevereiro deste ano, a IDC Brasil divulgou a versão atualizada de seu estudo "IDC Quarterly Hardcopy Peripherals Tracker, 2018 Q4". Empresa que, de acordo com o estudo, aparece como líder do segmento de Impressão Digital Colorida de Produção (Color Production Printing) no país pelo quarto ano consecutivo (com 55% de participação de mercado em unidades vendidas em 2018), a Konica Minolta apresentou um crescimento de market share de 21% no segmento de equipamentos de produção em relação a 2017. No que se refere a equipamentos de impressão digital coloridos, esse crescimento foi de 24% em relação ao ano anterior.

Os números de 2018 são bastante simbólicos para a companhia, conforme atesta o diretor geral & COO da Konica Minolta Business Solutions do Brasil, Ronaldo Arakaki. Isto, não somente pelo cenário de dificuldades apresentadas pelo contexto econômico, mas também pela história da marca japonesa no Brasil.

"O ano de 2018 marcou os 30 anos de atuação da Konica Minolta no Brasil. Isso torna os resultados divulgados pelo IDC Brasil ainda mais importantes, pois eles mostram o fruto de mais de três décadas de trabalho e investimentos no potencial deste grande mercado brasileiro", afirma Arakaki.

Contudo, o diretor também destaca a responsabilidade que recai sobre os números positivos.

"Há quatro anos somos referência no segmento de Color Production Printing, e nos mantermos nessa posição é um trabalho que passa pela responsabilidade de todos na empresa, não importando o cargo ou setor. Todos estão focados em oferecer não somente melhor tecnologia, como também atender o cliente em todas as suas necessidades. Nossa equipe está unida em torno desse ideal, e é dessa forma que pretendemos sustentar o crescimento que temos conquistado nos últimos anos de norte a sul do Brasil."

Arakaki ainda salienta que o mercado pode esperar novidades importantes da Konica Minolta para este semestre. "Teremos grandes lançamentos na área de impressão digital colorida em 2019, incluindo soluções para aplicações que demandam mais produtividade e robustez, e para impressão em alta qualidade para o segmento fotográfico. São equipamentos que representam a nova geração tecnológica da Konica Minolta e que, certamente, vão ao encontro das mais recentes e exigentes necessidades de nossos clientes", diz.