O Governo do Estado de São Paulo e a Secretaria da Cultura disponibilizaram 87.640 arquivos digitais que estão abertos para consulta e download gratuito. O projeto “Memória da Imigração” foi desenvolvido por meio de um banco de dados online que reúne um acervo que integra documentos pertencentes ao Arquivo Público do Estado de São Paulo e o arquivo digital do Museu da Imigração, antigo Memorial do Imigrante. 

[private] Qualquer pessoa pode acessar ao site do projeto www.museudaimigracao.org.br e efetuar buscas gerais ou específicas por categorias disponíveis, como: cartas de chamada, registros de matrícula, requerimentos da Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas (SACOP), jornais – publicados por colônias imigrantes entre 1886 e 1987 –, acervo cartográfico – mapas e plantas de núcleos coloniais – e iconográfico – retratos de imigrantes, cartões postais, fotografias de viagens e da antiga hospedaria.

O processo tem previsão de término para julho de 2012, mas já é possível conferir no portal o acervo até o momento digitalizado, onde estão reunidas cartas de chamada, mapas, croquis, fotografias, jornais, livros de Registro de Matrícula da Hospedaria dos Imigrantes e requerimentos. De acordo com a Secretaria de Cultura, o objetivo da iniciativa foi democratizar o acesso ao acervo do Museu da Imigração, seja para pesquisa ou apenas por curiosidade.

Com início em 2011, a iniciativa está dividida em duas fases. Na primeira etapa (já concluída), os documentos foram organizados, higienizados, catalogados, direcionados ao adequado acondicionamento do acervo, restaurados e digitalizados. Já na segunda fase, que ainda está em processo, a Secretaria da Cultura afirma que serão digitalizados cerca de 125 mil páginas dos diários de bordo das embarcações que traziam os imigrantes.

Segundo a Secretaria de Cultura, o projeto partiu no período de reforma do Museu da Imigração, quando o acervo foi recolhido pelo Arquivo Público do Estado para restauro. A partir de então, por meio da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM), a Secretaria solicitou ao Arquivo a digitalização de todo o acervo. O projeto foi concluído em sete meses e envolveu 22 profissionais.

A mesma parceria entre o Arquivo Público e a Secretaria da Cultura se estende na digitalização do acervo documental, iconográfico e cartográfico do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico, e Turístico do Estado de São Paulo (CONDEPHAAT). O acervo está composto por processos de tombamento de bens, fotografias e negativos, plantas em papel vegetal e papel sulfite, folhetos, fitas cassetes, VHS, slides, catálogos de exposição e museus, além de teses e dissertações, revistas, fotocópias e livros.

A Secretaria informa que neste último projeto, o trabalho da digitalização de cerca de 200 mil documentos deve ser concluído em junho deste ano também. Vale informar que outro processo de digitalização também está em andamento, no Museu do Café, onde serão digitalizado o acervo de fotos de fazendas, sacas, relatórios de venda e registros da Bolsa do Café. [/private]