Desaceleração em invenções patenteadas da China e contração de investimentos em P&D leva a declínio em 12 setores

De acordo com o Relatório de Estado de Inovação de 2017: O Desejo Incansável de Avançar, lançado hoje, uma análise da atividade de patente e pesquisa ano após ano em 12 setores importantes da indústria mostra que a taxa de crescimento diminuiu em 2016. O volume de patentes ainda está uma trajetória ascendente, com mais de 2,6 milhões de patentes publicadas em 2016. Isso indica que as corporações globais, universidades, agências governamentais e instituições continuam a contribuir incansavelmente com novas soluções para tratar dos maiores problemas do mundo.

O oitavo estudo anual da Clarivate Analytics, líder global na prestação de analítica e insights confiáveis para acelerar o ritmo da inovação, analisou dados de propriedade intelectual globais, incluindo a atividade mundial de aplicação de patentes e publicações de literatura científica, como principal indicador de inovação. O estudo deste ano registra um crescimento em solicitações de patentes de oito por cento - um declínio dos 14 por cento do ano passado. O relatório também descobriu que o maior crescimento em inovação advém do setor de alimentos, bebidas e tabaco, com 39 por cento.

O estudo analisa os 12 seguintes setores: aeroespecial e defesa, automotivo, biotecnologia, cosméticos e bem-estar, alimentos, bebidas e tabaco, aparatos domésticos, tecnologia da informação, dispositivos médicos, petróleo e gás, farmacêutico, semicondutores e telecomunicações.

O estudo Estado da Inovação também rastreia publicações globais de literatura científica como uma janela para a pesquisa acadêmica e científica que geralmente precede a descoberta e a proteção de direitos de inovação. A produção de literatura científica mais uma vez registra um declínio em relação ao mesmo período do ano passado, reforçando uma possível diminuição futura no crescimento da inovação.

"Embora seja inegável que o crescimento da inovação tenha diminuído, ele não parou", declarou Jay Nadler, CEO da Clarivate Analytics. "A inovação permanece em uma trajetória ascendente, e é por isso que comparamos consistentemente a inovação com métricas concretas para obter um claro vislumbre do futuro."

De acordo com a Information Technology and Innovation Foundation (ITIF), a inovação movimenta o crescimento econômico.[1] As atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) permitem aos cientistas e pesquisadores desenvolver novos conhecimentos, técnicas e tecnologias que capacitam as pessoas a produzir mais com os mesmos ou menos recursos. O aumento resultante em produtividade estimula o crescimento econômico. A pesquisa indica que o aumento de 1 por cento em gastos com P&D faz a economia aumentar em 0,61 por cento.

As principais descobertas do relatório deste ano incluem:

  • Com um crescimento de 8 por cento em relação ao mesmo período do ano passado em número de invenções que aparecem como patentes publicadas, comparado com 14 por cento no ano passado e um crescimento médio de 12 por cento, pelo período de cinco anos entre 2011-2015, a taxa de crescimento diminuiu. A redução foi estimulada amplamente pela China, que agora é responsável por mais de 6 em cada 10 invenções patenteadas no mundo.
  • Um crescimento anual de 9 por cento de 2015 a 2016, comparado ao crescimento de 25 por cento entre 2014 e 2015, poderia ser devido à paralização do crescimento econômico da China e ao correspondente enfraquecimento em investimento em P&D (gastos nacionais brutos estimados da China em pesquisa e desenvolvimento, ou GERD, o crescimento foi de 8,5 por cento em 2016, uma diminuição dos 8,9 por cento em 2015).
  • Inovação estimulado pelos setores de bens de consumo (alimentos, tabaco, bebidas fermentadas, cosméticos), ciências da vida (biotecnologia, farmacêutico) e alta tecnologia selecionada (aeroespecial, semicondutores, tecnologia da informação). Esses setores superaram a taxa de crescimento geral de 8 por cento para 2016. Alimentos, bebidas e tabaco registraram o maior aumento com 39 por cento. Os outros cinco setores – cosméticos, biotecnologia, farmacêutico, tecnologia da informação e aeroespacial – também experimentaram um crescimento de dois dígicos com 23, 22, 20, 15 e 13 por cento, respectivamente.

Os dados do relatório do Estado de Inovação de 2017 foram compilados usando o Derwent World Patents Index e a Web of Science.

Baixe o infográfico do relatório e o Relatório do Estado de Inovação de 2017: O Desejo Incansável de Avançar aqui.