Minas Gerais entrou oficialmente no calendário de obrigatoriedade da NFC-e. A Secretaria da Fazenda (Sefaz-MG) do estado anunciou o início efetivo da obrigatoriedade. O calendário foi lançado no 3º Inova NFC-e, que aconteceu nesta quinta-feira (09/11), em Belo Horizonte (MG). O evento reuniu mais de 500 pessoas e teve como objetivo discutir o futuro da automação comercial com a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica e os benefícios à sociedade.

O evento, promovido pelo ENCAT – Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais, contou com a apresentação de cases e palestras com coordenadores do ENCAT, que apontaram os desafios e oportunidades envolvendo a nota fiscal do consumidor e uma visão estratégica sobre o projeto. Na oportunidade a empresa de software NDD, apresentou case sobre os impactos do uso da solução de NFC-e pela Riachuelo.

Calendário oficial

 O estado mineiro aderiu ao projeto há três anos e precisou de todo esse tempo para estudar o mercado e ver o andamento em outras unidades da federação, já que possui uma das maiores economias do Brasil. A adesão voluntária acontece em abril de 2018, a lista de contribuintes terá que ser repassada até julho do mesmo ano e a obrigatoriedade geral entra em vigor em janeiro de 2019.

Cases de inovação

 Além das palestras, o evento levou ao público 5 cases de uso da Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, proporcionando aos presentes entender como é o funcionamento na pratica. O Key Account da NDD, Alovisio Deucher mostrou como a Riachuelo diminuiu os custos em infraestrutura e aumentou a visibilidade fiscal usando a solução NFC-e da NDD. Também foi revelado como o monitoramento das lojas e dos PDVs, com dashsboards ajustáveis contribuíram na otimização dos processos.

“Atendemos mais de 153 lojas com mais de 2.759 pontos de vendas, a volumetria de NFC-e é altíssima e por isso a empresa precisava de uma solução robusta que não parasse. E a solução da NDD demonstrou grande empenho, um exemplo, foi a BlackFriday de 2016, que bateu o recorde de emissão de NFC-e e o suporte da Riachuelo não foi acionado nenhuma vez”, contou o Alovisio.  Um desafio alcançado foi a integração com o PDV próprio da Riachuelo.

Novas tecnologias

 Nesta edição a AFRAC – Associação Brasileira de Automação para o Comércio participou como parceira no papel de entidade executiva na organização do evento. Outro participante de destaque foi a Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais.

“Trouxemos para o 3º INOVA NFC-e novas tecnologias e tivemos bastante integração com o público. Vimos a apresentação de altas tecnologias para grandes contribuintes, mas que também atendem os pequenos empresários, oferecendo as mais diversas soluções para facilitar a operação”, explicou o auditor fiscal da Secretaria Estadual de Fazenda e Líder Nacional do Projeto NFC-e, João Carlos do Nascimento Silva.

“A ideia da NFC-e é controlar os grandes contribuintes e dar a possibilidade aos pequenos empresários, a um custo muito baixo ou até mesmo sem custo, de cumprir as obrigações para emitir os documentos fiscais”, completou João Carlos.

Ao longo do dia, nos intervalos entre os painéis, as participantes tiveram a oportunidade de visitar a feira de inovações tecnológicas, que contou com diversas soluções de automação comercial que utilizam a NFC-e. O evento foi encerrado com a palestra magna do coordenador técnico da ENCAT, Álvaro Antônio da Silva, sob o tema “Documentos Fiscais eletrônicos, uma visão estratégica”.