De acordo com o Gartner, até 2017, a Web-scale IT será uma abordagem arquitetônica presente em 50% das empresas globais, número acima dos menos de 10%, em 2013. Ela é um padrão global de computação, que oferece os recursos dos grandes fornecedores de serviços na Nuvem dentro de um ambiente de TI empresarial, ao repensar posições em várias dimensões. Este será um dos assuntos abordados durante a Conferência Infraestrutura de TI, Operações e Data Center, que acontece nos dias 1 e 2 de abril (Terça e Quarta-feira), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.arquitetura_de_informacao

“Os grandes fornecedores de Cloud, como Amazon, Google e Facebook, estão reinventando a forma como os serviços de TI são entregues”, afirma Carl Claunch, vice-presidente e analista distinto do Gartner, que vai comandar a sessão “Web-scale IT: trazendo a Nuvem para a empresa”, que acontecerá no dia 1º de abril durante a Conferência. “Seus recursos vão além da escala, em termos de tamanho, e inclui, também, rapidez e agilidade. Se as empresas querem manter o ritmo, elas precisam imitar as arquiteturas, processos e práticas destes fornecedores exemplares”, diz ele.

“A Web-scale IT parece mudar a cadeia de valor da TI de uma forma sistêmica”, diz Claunch. “Os Data Centers são projetados sob uma perspectiva de engenharia industrial que enxerga cada oportunidade de redução de custos e desperdício. Isso vai além de redesenhar as instalações para ser mais eficiente em termos de energia para incluir, também, o design interno de componentes chave de hardware, como servidores, armazenamento e redes. As arquiteturas orientadas à Web permitem aos desenvolvedores construírem sistemas muito flexíveis e resistentes, que se recuperam de falhas mais rapidamente”.

O Gartner afirma que os projetos abertos e disponíveis de instalações de Data Centers e servidores associados, além de armazenamento e hardware de redes, estão diminuindo os custos e rompendo o panorama tradicional de fornecedores de TI.

“As organizações de TI têm tido, historicamente, um número limitado de fornecedores de hardware para servidores, dispositivos de armazenamento ou equipamentos de redes. Isso começou a mudar quando grandes fornecedores de serviços na Nuvem, devido às suas necessidades extremas por escala e controle de custos, começaram a projetar e montar componentes de infraestrutura”, diz o analista. “Esses dispositivos eram diferentes dos vendidos a empresas tradicionais, pois, não possuíam algumas características básicas, muitas vezes, disponíveis em produtos comerciais”, afirma Claunch.

Independentemente da empresa de serviços na Nuvem, um elemento comum entre todos esses dispositivos era a exigência organizacional de rodar um sistema operacional aberto, não apenas para reduzir custos, mas, também, para aumentar o controle dos ambientes de TI.

Isso traz diversas ramificações para a empresa tradicional. Primeiro, e, talvez, mais importante, uma abordagem aberta fornece mais opções para o design e aquisição de equipamento de hardware (e Data Center) – na qual as arquiteturas ajustáveis fazem sentido. Enquanto o Gartner espera que os provedores tradicionais forneçam soluções alinhadas com esses projetos, os novos também terão ofertas. Com a quebra na hegemonia dos servidores, as empresas terão a chance de impulsionar as economias de escala concebidas para estes sistemas – não apenas em termos de preço, mas do ponto de vista da despesa de operações. Embora esse custo seja difícil de medir, um novo senso de inovação começa a entrar na indústria, que, provavelmente, terá benefícios adicionais numa fase posterior para grandes empresas de serviços em Nuvem e companhias tradicionais.

Ao mesmo tempo, as arquiteturas de software baseadas em WOA (arquitetura orientada à Web) fracamente acopladas estão permitindo às equipes de desenvolvimento operarem, cada vez mais, independentemente, enquanto aprimoram a resistência geral da aplicação. As organizações de TI devem repensar o desenho das aplicações se quiserem cumprir as exigências dos ambientes de Web-scale IT. Tais requisitos incluem, performance escalável, proporcionalmente, com a adição de recursos, adaptando-se ao grau necessário de mudança do negócio, permanecendo resistente em face da fragilidade da infraestrutura e sendo operacionalmente eficiente, na medida em que o tamanho do sistema aumenta.

Para alcançar estes requisitos, a arquitetura da aplicação e a tecnologia que liga os múltiplos serviços escaláveis pela Web devem ser examinadas. Com relação às aplicações, os arquitetos empresariais e desenvolvedores devem considerar uma ampla gama de abordagens para atender às necessidades.

Juntas, as novas abordagens de aplicação e arquitetura colocam as empresas no caminho do design para operações. Isto significa que, ao avaliar como aprimorar a performance e a resistência desde o início, a TI pode começar a repensar seu suporte operacional. Combinando novas arquiteturas de software com abordagens de estilo DevOps (alinhamento entre operações e desenvolvimento), podem se tornar os catalisadores para melhorar a habilidade de adaptação à mudança. Como resultado, o Gartner prevê que, até 2020, 25% dos CIOs globais já terão envolvimento prévio em iniciativas corporativas Web-scale, acima dos menos de 5%, em 2013.

A influência do DevOps na cultura, ferramentas, processos e estrutura organizacional de TI está resultando na aceleração da entrega de aplicações e em um ambiente de contínua experimentação.

“O DevOps está fazendo com que as organizações repensem muito da sabedoria convencional das operações de TI”, afirma Carl Claunch. “Historicamente, a TI tem se focado em gerenciar o risco – particularmente para empresas de indústrias reguladas. Porém, as principais bases do DevOps, como, por exemplo, automação, estão permitindo a essas mesmas empresas perceberem que podem ser rápidas e seguras. Abraçar o risco não é tão arriscado quanto parece com uma mentalidade de DevOps. Com uma arquitetura de aplicações mais resistente no primeiro lugar, permite às equipes de operações de TI implantarem e apoiarem processos mais simples e ágeis, que podem, de outra maneira, serem vistos como inapropriados por empresas mais conservadoras”.

As inscrições para a Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações e Data Center podem ser feitas por e-mail brasil.inscricoes@gartner.com, telefones (11) 5632-3109 | 0800 744 1449 ou pelo site www.gartner.com/br/datacenter.