Home Office cresce em todos os seguimentos e empresas buscam informações e soluções para preservar funcionários e ajudar a combater o contágio

Por Prado Junior

A pandemia do coronavírus mudou a rotina de empresas em todo o mundo. Aqui no Brasil, com o avanço da doença, muitas medidas de prevenção estão sendo tomadas. O Home Office, prática que mostrava um certo crescimento, praticamente tomou conta do dia a dia de todos os seguimentos.

Outras medidas também estão sendo implantadas para evitar o contágio e a disseminação do Covid-19. 

A Hitachi Vantara, líder global em soluções de armazenamento de dados, criou um Comitê Central, na matriz que fica em Santa Clara, na Califórnia, para orientar todos os funcionários a nível mundial. Assuntos como viagens da equipe, operações em regiões de alto impacto, como lidar com funcionários que podem ser diagnosticados com o vírus, problemas nas cadeias de suprimentos, recalls de produtos e atrasos na fabricação, são tratados por esse comitê e repassados para as filiais. Se algum funcionário sentir os sintomas, esse comunicado pode ser feito por meio de uma plataforma web, e-mail ou telefone. Todos os eventos e feiras que seriam realizados pela empresa ou que tivessem participação de funcionários foram cancelados no mês de março. A Hitachi Vantara está em parceria com a Omint, provedora de seguro-saúde de seus funcionários, orientando caso a caso por via remota.

A Contabilizei, maior escritório de contabilidade do país e pioneiro em oferecer os serviços online, com sede em Curitiba e escritório em São Paulo adotou o home office em ambas as cidades, disponibilizando chips de operadoras e celulares para a equipe de vendas. Para o funcionário que não possuía internet disponível em sua casa, a empresa mandou instalar a internet para que ele pudesse trabalhar home office, assim como fez um levantamento de todos que precisam de um reforço de equipamentos para mandar entregar nas casas dos colaboradores. Adotaram também um manual de orientações para todos colaboradores de como devem se preparar para o home office e como devem se cuidar durante esse período.

A Matera, empresa de tecnologia voltada ao mercado financeiro, fintechs e gestão de risco, também adotou o regime home office para 50% de seus colaboradores, considerando o grupo de risco. Para quem fica alocado na empresa, foram instalados dispensers de álcool em gel e a flexibilização de horário para evitar o uso de transporte público em horário de pico.

Já a Flores Online, primeiro e-commerce de flores e presentes especiais do país, com sede em São João da Boa Vista - que ainda não possui casos de coronavírus confirmados - e centro de distribuição em São Paulo, também adotou o home office e disponibilizou álcool em gel para todos nos ambientes de trabalho, trocando toalhas de pano pelas de papel, copos descartáveis e limpeza ainda mais recorrente. Eles também procuram conscientizar os colaboradores quanto a importância de se manter em um ambiente arejado e evitar o uso de ar condicionado.

A Solutis também instalou um comitê para tratar sobre o coronavírus, enviando comunicados diários sobre a pandemia com orientações para os colaboradores. Criaram um canal de comunicação direto, com endereços de e-mails dos funcionários. Tudo isso para manter todos informados sobre o assunto. 

De acordo com o CEO da Solutis, Paulo Marcelo, outras providências estão sendo tomadas visando a não propagação do vírus. “Suspendemos todas as viagens internacionais. As viagens nacionais, só se for de extrema necessidade. Estamos suspendendo todos os eventos externos e internos. Dentro da empresa, existe distribuição de álcool gel para higienização dos ambientes”, aponta Paulo.

Poder público

Na segunda-feira (16), o governador de São Paulo, João Dória Jr, determinou o fechamento dos shoppings a partir do dia 23 até o dia 30 de abri e nesta quinta-feira (19), recomendou o cancelamento de cultos religiosos. O prefeito da capital paulista, Bruno Covas decretou o fechamento de todo o comércio de rua e vai fiscalizar os ambulantes. Somente supermercados, padarias, farmácias e restaurantes poderão funcionar, seguindo as recomendações de higienização intensa.

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou nesta também na quinta (19) a mais uma morte pelo coronavírus em São Paulo, a quinta vítima fatal. O paciente é um homem de 77 anos, com comorbidade, que residia na capital paulista e estava internado em um dos hospitais de uma rede privada.

O estado de São Paulo tem 286 casos confirmados do novo coronavírus e 7.669 suspeitos, segundo boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde. O número de confirmados aumentou 19% em relação ao balanço anterior, divulgado na quarta (18).