Eles são parte estatísticos, parte técnicos em computação avançada e parte homens de novos negócios. Os cientistas de dados são os profissionais mais escassos atualmente. As empresas estão abrindo vagas mas não acham gente qualificada à disposição. Mas é realmente hora de sua empresa se preocupar com isso?

Especialistas afirmam que, por se tratar de uma transformação muito grande no mundo dos negócios, passar para uma nova a fase do digital pode ser mais demorada. Essa nova etaba tem a mobilidade, big data/analytics, social business e cloud como forças e - por isso - acabam por mudar completamente a empresa. Sair desesperadamente à procura de um profissional de dados sem saber se a companhia está completamente transformada pode ser um erro.

Duas perguntas essenciais podem ser feitas para saber se é hora ou não de procurar esse novo profissional: a empresa está preparada para lidar com grandes volumes de dados? A companhia realmente entende a importância das informações para evoluir na competitividade?

Se a empresa não sabe o que é essa nova fase dos negócios ou qual a importância das informações, não há porque contratar um cientista de dados. Primeiro, o que vem primeiro. Entender a mudança e preparar uma nova cultura dos negócios da informação devem ser prioritários antes da contratação de um cientista de dados.