Pandemia levou instituições financeiras a contabilizarem mais de 2 milhões de pedidos de renegociação. A Volkswagen Financial Services conseguiu renegociar mais de 1000 contratos graças a RPA - robotic process automation.

Com a pandemia da Covid-19 impactando praticamente todos os setores da economia, bancos anunciam a renegociação de parcelas de contratos junto a clientes em acordos firmados para assegurar a sustentabilidade das empresas. Para se ter uma ideia, segundo o levantamento parcial divulgado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), até abril foram contabilizados mais de 2 milhões de pedidos de renegociação pelas principais instituições financeiras. Neste cenário, o desafio imposto aos bancos é cumprir o registro de grandes volumes de contratos renegociados, em meio ao trabalho remoto, com agilidade, sem margem de erros e sem prejudicar a linha de crédito das companhias.

A tecnologia RPA, ou Robotic Process Automation, que automatiza processos empresariais por meio de softwares de robôs, tem auxiliado os bancos nessa tarefa.  É o caso da Volkswagen Financial Services cuja área de crédito no Brasil já inseriu robôs no processo de renegociação contratual, com potencial para reduzir o tempo do trabalho em 50%. “Recentemente concluímos a renegociação de mais de 1000 contratos de um mesmo cliente, em 05 dias, o que significa uma economia aproximada de 90 horas/homem. Saímos de um processo manual para uma rotina automatizada, com uso de softwares de robôs e que mantêm nossos profissionais motivados e focados em funções menos operacionais e mais estratégicas”, afirma Kaio Bitencourt Armenio da Volkswagen Financial Services.

“Nosso objetivo nessa transformação digital é atender o cliente com qualidade e agilidade frente ao momento de crise que vivemos”, diz Leonardo Vieira da Rocha head de Crédito da Volkswagen Financial Services.

Treinamento e sensibilização – Segundo Cláudia Baroni da Volkswagen Financial Services, mesmo antes da Covid-19 a Volkswagen Financial Services realizou em parceria com a UiPath, consultora em RPA e líder global na tecnologia, um projeto-piloto para registro de contratos com o uso da automação. A experiência foi bem sucedida e, a partir dela, a empresa iniciou uma grande sensibilização interna, aberta a todos os profissionais, que explicou o que é o RPA e incentivou todas as áreas a refletirem sobre como a automação, ou o uso de robôs assistentes, poderia melhorar a eficiência do trabalho e da entrega ao cliente. “Agora, para os mais de 120 colaboradores que participaram dos workshops, contar com um robô assistente é uma hipótese possível; trata-se de uma mudança de mindset”, explica Ailson Saraiva da Costa, da Volkswagen Financial Services.

Com a chegada da pandemia criou-se a necessidade de agilizar o processo de renegociação de milhares de contratos e fez com que o setor conduzisse o primeiro projeto em RPA da empresa, com o apoio da UiPath que deverá ser entregue até o final deste mês.

Centro de Excelência em RPA (Coe) – O próximo passo da empresa é dar continuidade a estruturação do Centro de Excelência em Automação (Coe), ou RPA, que dará suporte ao desenvolvimento de mais projetos de automação a outras áreas do banco. Para tal, a LVR proverá treinamentos técnicos aos colaboradores dentro das funções de multiplicador de RPA e Desenvolvedor RPA, descentralizando a automação da área de TI.

Para a UiPath, estruturar o Centro de Excelência é importante porque ele estabelece as boas práticas da automação; engaja diferentes profissionais; ajuda a empresa a mensurar os impactos do RPA sobre o negócio, e ajuda a escalar a automação a todos os setores da companhia com segurança, agilidade e eficiência, de forma que, no futuro, cada colaborador possa ter o seu próprio robô assistente. “Essa é a nossa visão. Acreditamos na ideia de um robô para cada pessoa, e trabalhamos para permitir que profissionais do mundo todo se envolvam no processo de automação e se beneficiem do trabalho ao lado de robôs todos os dias”, diz Edgar Garcia, diretor comercial da UiPath no Brasil. 

A UiPath calcula que para cada US$ 1,00 investido na plataforma RPA as empresas possam alcançar retorno de US$ 15 ou mais ainda no primeiro ano de trabalho, devido ao aumento de produtividade, satisfação de colaboradores, e melhores experiências aos clientes.