Já é possível conferir, hoje, a aplicação do IoT em diversas indústrias e prever transformações para o futuro

Do patinete ao monitoramento de toalhas em hotéis: a Internet das Coisas (IoT) já está presente na sua vida

Um estudo publicado pela empresa de consultoria estratégica McKinsey estima que até 2025 a Internet das Coisas (IoT) terá um impacto econômico de US$ 4 a 11 trilhões. Só no Brasil, esse mercado pode atingir até US$ 200 bilhões por ano. De acordo com a consultoria de tecnologia Gartner Group, serão mais de 20 bilhões de dispositivos conectados até 2022.

As soluções de IoT devem transformar os lares (casas inteligentes ) e as cidades (cidades inteligentes) integrando aplicações para melhoria do trânsito, coleta de lixo, iluminação inteligente, gestão do transporte público, distribuição de água, energia e gás, entre muitas outras.

Tudo bem, mas como o IoT funciona na prática? A seguir, alguns exemplos de como a Internet das Coisas já está presente (ou estará em breve) no dia a dia das pessoas:
• na mobilidade urbana: nos automóveis conectados, no controle de frotas de ônibus e caminhões e na economia compartilhada (patinetes, bicicletas e carros compartilhados);
• nos lares inteligentes: as casas inteligentes poderão ser equipadas com sistema de controle de acesso, termostatos inteligentes, controle de equipamentos domésticos;
• na agricultura: atualmente já é possível colher informações precisas por meio de sensores de umidade e temperatura que aumentam a eficiência da safra. Além disso, é possível identificar e combater incêndios;
• nas empresas de serviços: as empresas de água, energia e gás poderão eliminar as atividades de leitura dos relógios e instalar nos leitores conectados à internet;
• nos bancos: atualmente já existem inúmeras formas de pagar uma conta de restaurante que nos permitem sair de casa sem dinheiro e sem cartão;
• no varejo: novas lojas tem sido implementadas nos Estados Unidos e no Brasil e já testam a ideia de supermercados sem fila do caixa
• na logística: já é possível rastrear os caminhões e a respectiva carga com o intuito de prevenir as perdas decorrentes dos roubos de carga. As aplicações de entrega também já são usadas quando são feitos pedidos de comida em casa ou quando, por exemplo, é enviado um documento urgente para alguém;
• no marketing: na análise do comportamento do consumidor;
• na indústria: as empresas já conseguem aplicar a tecnologia para melhorar a manutenção preventiva e fazer gestão da cadeia de suprimentos visando a redução de estoques;
• na educação: as escolas podem controlar e simplificar atividades rotineiras e que não têm alto valor agregado;
• na nossa rotina: no monitoramento de atividades físicas e nos cuidados com os pets.

E que fique claro que esta é apenas uma pequena lista que poderia ser bastante ampliada com exemplos nas mais variadas áreas.

Como curiosidade, uma empresa desenvolveu um sistema de etiquetas de radiofrequência (RFID) que, entre as várias aplicações, já vem sendo utilizado para prevenir furto de toalhas em hotéis. Em apenas um dos casos em que a tecnologia foi aplicada na prática, a economia já passou de US$ 15 mil.

Se não existem limites para as aplicações, as questões éticas também são muito importantes e devem ser bastante discutidas. De quem são todos estes dados? Como fica a questão da privacidade? Como as empresas devem se preparar para lidar com a Governança de IoT? Estes são alguns dos pontos que devem fazer parte das discussões e preocupações por parte de empresas e consumidores.

Uma frase atribuída ao cofundador da empresa de tecnologia Aria Systems parece resumir muito bem a transformação que as pessoas estão vivendo: "Se você acha que a Internet mudou a sua vida prepare-se: a Internet das Coisas vai mudar tudo de novo!"

Fonte: https://www.segs.com.br/seguros/183746-a-internet-das-coisas-vai-mudar-a-forma-como-o-brasileiro-vive