De acordo com um estudo feito pela Corebiz - empresa de inteligência para marcas do varejo - apenas no mês de março deste ano, por conta da pandemia do novo coronavírus, a receita das comprar por delivery no segmento alimentício cresceu 77% em comparação ao mesmo período em fevereiro. Essa movimentação comprova um aumento gradativo da preferência do público em receber comida confortavelmente sem sair de casa.

Pensando em estar cada vez mais presente no mercado, a BTX Digital - empresa especializada em criação, construção e manutenção de digital banks para grandes ou médias organizações - lança o iPepper, o novo aplicativo que chega ao mercado brasileiro para tomar fatia do segmento de entrega de comida pela internet e que fará parte dos serviços disponibilizados pelos digital banks da empresa. Até o final de 2121, a empresa estima um investimento de 114 milhões em CAPEX para abertura e tomada de mercado com investimento próprio e parcerias fortes no setor.

"O mercado de entregas sempre foi bem movimentado, mas as taxas seguem abusivas, então, com esse lançamento e através de uma tecnologia totalmente inovadora e parceiros estratégicos, conseguimos reduzir as taxas em até 80% do que é cobrado por outros players, que abrirá margem para um cashback inovador para quem pede, quem vende e quem entrega", comenta Rafael Pimenta, CEO da BTX Digital.

O aplicativo será lançado na Google Play e vai ser disponibilizado - inicialmente - para 2 cidades de São Paulo que ficará em testes por 30 dias, para que a nova inteligência artificial seja aprovada. Logo após, será lançado gradualmente nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza e Recife. A empresa tem como objetivo, até dezembro, de estar em mais de 20 cidades brasileiras. "É um produto totalmente inovador, onde existirá cashback adicional nas vendas, plataforma exclusiva de tendências, além da segurança do comprador em ter seus documentos verificados através dos bancos parceiros", explica Rafael Pimenta.

Além da iPepper fazer parte da mesma Holding, a sinergia tecnológica e a oferta do aplicativo para os correntistas dos 20 bancos em operação são parte crucial da estratégia da empresa. Ele será uma parte importante dentro dos bancos, principalmente por se tratar de um sistema totalmente integrado, já preparado para a nova tecnologia do Banco Central, PIX, que se inicia em ainda em 2020. "Quem compra pode fazer débito direto na conta, quem vende recebe através delas e quem entrega vai poder ter todos os benefícios de uma conta digital gratuita, e centenas de serviços. Todos também contam com as soluções de cartão, máquina de POS, serviços financeiros bem abaixo do mercado e muito mais", conta Pimenta em primeirão mão.

Com o cashback das corridas e o programa de pontuação recorrentes, essa alternativa foi pensada para que os entregadores tenham novas fontes de renda dentro da mesma entrega. Além disso, dependendo da distância, serão realizados incentivos para que esses mesmos portadores utilizem veículos não poluentes. Ainda, através dos cartões magnéticos inteligentes, fruto da parceria com a Hub Fintech, os compradores serão verificados e possuirão um cartão exclusivo para pagamento de compras em estabelecimentos que não estiverem no aplicativo, além de conseguirem cadastrar novos restaurantes, que serão baseados em satisfação de clientes anteriores, ganhando sobre os restaurantes cadastrados.

"Em um mercado polarizado com players investindo pesado, o maior desafio será colocar a iPepper como mais um stakeholder que vai oferecer soluções muito abrangentes em um mix diferenciado de atuação, impulsionado pelos 20 digital banks que trabalham em modelo de love brand", finaliza Rafael Pimenta.