Desde que a Covid tornou-se uma realidade mundial, ouvimos conselhos na televisão, rádio, internet e demais meios de comunicação, seja de especialistas ou mesmo de agentes de saúde pública: lave sempre as mãos, use álcool em gel, não toque na boca e nariz e se possível: fique em casa! Fechamos empresas e comércio, adiamos eventos, feiras, reuniões e boa parte da população recorreu ao trabalho remoto.

Ao nosso redor, pessoas continuam a perder inesperadamente seus entes queridos, tentamos manter o controle da saúde física e mental que nos causa o distanciamento social, empresas, economia e o comércio estão acumulando prejuízos, enquanto os sistemas de saúde estão sobrecarregados. E infelizmente, a sensação é de que parece longe de terminar.
“Neste momento, as empresas precisam focar em dois fatores: manter os funcionários e suas famílias em segurança e, em paralelo, estar preparadas para o retorno às atividades normais o mais breve possível. Chegado o momento, é preciso comunicar aos funcionários sobre o encerramento da quarentena e um retorno gradual às atividades presenciais”, lembra afirma Sérgio Paiva, responsável pela comunicação da DocSysnet.

Mas à medida que nos aproximamos das fases seguintes da pandemia e da diminuição das restrições, as pessoas e as empresas estão procurando maneiras de voltar ao novo normal. Quais os riscos de uma retomada descuidada e onde concentrar os esforços?

“As empresas precisam fazer a sua parte para voltar a operar. Não criar ou não seguir protocolos sanitários prejudica não só a sociedade, mas o próprio bussiness, que pode ter contaminação descontrolada, perder pessoas ou ter um número reduzido no time para operar”, observa Mirian Macedo, Diretora de RH da Digisystem

“Essa será uma decisão difícil e deverá ser tomada com muita cautela e com todas as precauções para trazer a força de trabalho de volta às instalações das empresas. Este retorno deverá ser bem planejado e de forma gradual”, completa Sérgio.

Essa incerteza em torno da pandemia traz insegurança de como será o retorno ao trabalho. Algumas empresas permanecerão totalmente remotas, enquanto outras retornarão gradualmente ao escritório. E um terceiro grupo ficará em algum lugar entre esses dois extremos.

Como podemos colocar a segurança em primeiro lugar?
A saúde e a segurança da força de trabalho devem ser a prioridade, mas ao considerar trazer as operações de volta, é importante adotar algumas medidas no retorno ao normal. Proteger o bem-estar dos funcionários é fundamental, porque nenhum plano nessa retomada pode ter sucesso sem eles.

“A DocSysnet está atenta a todas as mudanças que estão acontecendo no mundo em função da pandemia. Não só no mundo dos negócios, mas nas relações interpessoais que, hoje, estão ganhando novos valores. Esse olhar nos permite apoiar nossos clientes de forma ampla. Estamos nos preparando para que tudo seja feito com foco na saúde e segurança de todos, colocando o nosso setor de inteligência na gestão de documentos como referência no momento da retomada. Por isso, preparamos as melhores práticas para o retorno ao trabalho presencial, de forma consciente e responsável, para que nossos funcionários e clientes conduzam este processo da melhor forma possível” afirma Sérgio.

“É extremamente importante aferir a temperatura como ferramenta de prevenção! Já estamos com o nosso aparelho de aferição de temperatura corporal no escritório. Quando decidirmos voltar, o plano de retorno já está desenhado, com aferição obrigatória na entrada de cada colaborador”, recomenda Rodrigo Burjato, CFO da Sky.One

Planeje e aprenda para o futuro
As empresas terão cada vez mais que adotar normas de conduta e seguir descobrindo ainda que para algumas tarefas não precisam se deslocar tanto quanto antes - viagens de negócios serão um luxo. Embora a crise esteja conosco há seis meses, a realidade ainda pode se arrastar por um bom tempo e não há como voltar à normalidade tão cedo.

Não podemos esquecer que além das questões de saúde, higiene e cuidados, o período da transição pode ser também o do desafio de voltar aos patamares da produtividade pré-surto e a volta de funcionários dispensados. Ou a combinação de ambos. A incerteza é tamanha que provavelmente tenhamos mais mudanças nos próximos meses que agora ainda parecem impensáveis.

Ouvimos empresas e especialistas e reunimos alguns procedimentos importantes quando o assunto é decidir a retomada, veja:

• Garantir um distanciamento seguro entre funcionários e visitantes.

• Gerenciar com segurança o fluxo de pessoas, dentro e fora do trabalho/escritório.

• Planejar os protocolos de limpeza, especialmente em espaços de grande circulação de pessoas, como copa, banheiros, recepção, salas de reunião e recreação.

• Comunique sempre - o que os funcionários precisam saber?

• Pense na saúde dos funcionários, o bem-estar físico e mental e como você gerenciará o engajamento e a produtividade da equipe.

• O que você comunicará aos clientes, fornecedores e parceiros?

• limpeza e higienização rigorosas para mesas e locais de atendimento.

• Garantir equipamentos de proteção individual para manter a higiene, como máscaras faciais, luvas, lenços umedecidos e pontos espalhados com álcool em gel

• Revisões de políticas de viagens e reuniões externas,

• Atenção e rastreamento da saúde dos funcionários,

• Elaborar um plano de contingência caso haja necessidade de outra quarentena,

• Reabrir as instalações de uma vez ou desenvolver uma abordagem em estágios?

• Apoiar o trabalho remoto: para quem esteja em grupo de risco ou precisa (as crianças voltaram às aulas? Há funcionários que também dão atenção aos pais ou pessoas do grupo de risco?),

• Considerar a programação em turnos para equipes diferentes,

• Estar preparado para o estresse e ansiedade para pessoas que ainda não se sentem confortáveis ou seguras,

• Avaliar métodos alternativos de transporte para funcionários que dependem de transporte público (principalmente longas distâncias).